Cofre de sementes no Ártico ameaçado pelo degelo

O problema obrigou o governo norueguês a gastar cerca de quatro milhões de euros para corrigir as falhas detetadas no "cofre do dia juízo final", que guarda sementes de todos o mundo

A Noruega foi obrigada a reparar a entrada do banco de sementes conhecido como o "cofre do dia juízo final", localizado numa ilha do Ártico, depois de o degelo acelerado e inesperado do permafrost ter gerado uma inundação: a água entrou no edifício que guarda sementes de milhões de culturas. O problema obrigou o governo norueguês a gastar cerca de quatro milhões de euros para corrigir as falhas detetadas, avança o jornal Guardian.

A água, limitada ao hall de entrada de 15 metros, não teve impacto nos milhões de sementes armazenadas dentro da montanha, a mais de 110 metros de profundidade. Ainda assim, é um problema inesperado para o cofre localizado no arquipélago de Svalbard, a cerca de 1000 km do polo norte e pensado para proteger as sementes de cataclismos, como guerra nuclear ou doença, servindo-se do permafrost natural, uma camada de solo gelado que ocorre em climas frios nas altas latitudes.

"O Cofre de Sementes Global de Svalbard está a sofrer melhorias técnicas por causa da inundação", afirmou o grupo de construção do estado norueguês, Statsbygg, que construiu o cofre aberto em 2008, em comunicado. "As sementes no cofre nunca estiveram ameaçadas".

Hege Njaa Aschim disse que a empresa removeu o equipamento elétrico da entrada - uma fonte de calor - e estava a construir paredes à prova de água dentro e valas fora para canalizar qualquer água. O número de visitantes também foi reduzido para limitar o calor do corpo humano.

Um dos problemas é que o permafrost à volta da entrada do cofre, que descongelou na altura da construção, há uma década, não voltou a congelar como os cientistas tinham previsto, explicou Aschim.

As temperaturas na região do Ártico têm aumentado duas vezes a média global numa tendência de aceleração que os cientistas atribuem aos gases de efeito estufa produzidos pelo homem.

Haga disse que a fundação que administra o cofre-forte genético conseguiu até agora angariar cerca de 200 milhões de dólares dos 850 que precisa para ajudar a preservar as sementes recolhidas por todo o mundo. É uma apólice de seguro extremamente barata para o mundo", concluiu.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Opinião

Os irados e o PAN

A TVI fez uma reportagem sobre um grupo de nome IRA, Intervenção e Resgate Animal. Retirados alguns erros na peça, como, por exemplo, tomar por sério um vídeo claramente satírico, mostra-se que estamos perante uma organização de justiceiros. Basta, aliás, ir à página deste grupo - que tem 136 000 seguidores - no Facebook para ter a confirmação inequívoca de que é um grupo de gente que despreza a lei e as instituições democráticas e que decidiu fazer aquilo que acha que é justiça pelas suas próprias mãos.

Premium

Margarida Balseiro Lopes

Falta (transparência) de financiamento na ciência

No início de 2018 foi apresentado em Portugal um relatório da OCDE sobre Ensino Superior e a Ciência. No diagnóstico feito à situação portuguesa conclui-se que é imperativa a necessidade de reformar e reorganizar a Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), de aumentar a sua capacidade de gestão estratégica e de afastar o risco de captura de financiamento por áreas ou grupos. Quase um ano depois, relativamente a estas medidas que se impunham, o governo nada fez.