Chave móvel digital. A nova revolução para o cartão do cidadão

O telemóvel já está ligado ao cartão de identificação

Na comemoração dos 10 anos do cartão do cidadão, chega uma nova revolução que promete facilitar a vida aos portugueses: a chave móvel digital. Trata-se de um mecanismo que associa o número de telemóvel ao cartão da pessoa e que, a partir daí permite o acesso a inúmeros serviços públicos online.

De acordo com o Jornal de Notícias, esta "ferramenta" já está em funcionamento, facilitando a vida dos cidadãos em inúmeros serviços, como o pedido de registo criminal ou alteração de morada no cartão. Basicamente, permite o acesso a uma série de serviços que só estavam disponíveis a quem tinha leitor do cartão do cidadão. Atualmente, segundo explicou Anabela Pedroso, secretária de Estado da Justiça, ao JN, só 17% dos cidadãos nacionais têm assinatura eletrónica ativada.

Para ter a chave móvel digital terá, no entanto, de ir a uma conservatória ou a um espaço do cidadão.

Há cerca de um mês, a secretária de Estado Adjunta e da Modernização Administrativa, Graça Fonseca, demonstrou, na Presidência do Conselho de Ministros, as novas funcionalidades da chave móvel digital, uma solução de autenticação simples e segura que já permite aos utilizadores aceder a 'sites' da administração pública, apenas com um número de telemóvel e um 'pin' de quatro dígitos.

"A chave móvel digital tem a vantagem de retirar a necessidade de um leitor, passa a ser apenas um código 'pin' que eu introduzo. Não tenho que ter o documento físico para me autenticar ou assinar", explicou. De acordo com a governante, qualquer pessoa pode assinar digitalmente qualquer contrato, tendo dado o exemplo dos da água ou da luz.

Atualmente são cerca de 60 mil os utilizadores da chave móvel digital, mas a secretária de Estado apontou "uma meta que é bastante ousada".

"Nós gostaríamos muito até ao final do mandato ter um milhão de utilizadores. Eu sei que é uma meta ousada, mas nós vamos trabalhar", explicou, acrescentando que a chave móvel digital pode ser pedida atualmente em todas as lojas e espaços do cidadão.

Graça Fonseca destacou que este mecanismo de simplificação é "algo que é muito fácil, muito prático e vai permitir alavancar muito tudo o que são a desmaterialização de tudo o que são processos das entidades privadas e das entidades públicas".

Ler mais

Exclusivos

Premium

Nuno Artur Silva

Notícias da frente da guerra

Passaram cem anos do fim da Primeira Guerra Mundial. Foi a data do Armistício assinado entre os Aliados e o Império Alemão e do cessar-fogo na Frente Ocidental. As hostilidades continuaram ainda em outras regiões. Duas décadas depois, começava a Segunda Guerra Mundial, "um conflito militar global (...) Marcado por um número significativo de ataques contra civis, incluindo o Holocausto e a única vez em que armas nucleares foram utilizadas em combate, foi o conflito mais letal da história da humanidade, resultando entre 50 e mais de 70 milhões de mortes" (Wikipédia).

Premium

nuno camarneiro

Uma aldeia no centro da cidade

Os vizinhos conhecem-se pelos nomes, cultivam hortas e jardins comunitários, trocam móveis a que já não dão uso, organizam almoços, jogos de futebol e até magustos, como aconteceu no sábado passado. Não estou a descrever uma aldeia do Minho ou da Beira Baixa, tampouco uma comunidade hippie perdida na serra da Lousã, tudo isto acontece em plena Lisboa, numa rua com escadinhas que pertence ao Bairro dos Anjos.