Casal indiano agredido até à morte por dívida de 20 cêntimos

O casal pertencia à casta mais baixa, os chamados "intocáveis"

Um comerciante armado com um machado agrediu esta quinta-feira até à morte um casal no norte da Índia por não terem pago uma dívida de 20 cêntimos, disse a polícia.

O casal de meia-idade, do estado de Uttar Pradesh e que pertencia à casta mais baixa - "Dalit" ou "intocáveis" -, estava a ir para casa quando o comerciante lhes pediu para pagarem a dívida de 15 rupias (0,20 euros).

"O dono da loja pediu o dinheiro mas eles suplicaram que os deixasse pagar mais tarde. Ele ficou enfurecido e atacou-os com um machado", disse à agência France-Presse, o oficial de investigação do distrito de Mainpuri, Arun Kumar.

O oficial disse que o casal comprou bens da loja na semana passada com a promessa de pagar ao lojista de 60 anos dentro de uma semana.

O comerciante foi preso logo depois do incidente e a arma do crime foi recuperada.

Centenas de pessoas são mortas na Índia todos os anos por causa de provocações repentinas, muitas vezes triviais.

Em 2014, quase 15 por cento dos assassinatos em Nova Deli não tiveram qualquer motivo, segundo a polícia, e foram quase todos cometidos por pessoas que não são criminosas, apenas tiveram um acesso de raiva.

Mais de 33.000 pessoas foram mortas na Índia em 2014, segundo os números mais recentes publicados pelo gabinete nacional de registos criminais.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Margarida Balseiro Lopes

Legalização do lobbying

No dia 7 de junho foi aprovada, na Assembleia da República, a legalização do lobbying. Esta regulamentação possibilitará a participação dos cidadãos e das empresas nos processos de formação das decisões públicas, algo fundamental num Estado de direito democrático. Além dos efeitos práticos que terá o controlo desta atividade, a aprovação desta lei traz uma mensagem muito importante para a sociedade: a de que também a classe política está empenhada em aumentar a transparência e em restaurar a confiança dos cidadãos no poder político.