Casal comprou recém-nascido por 2500 euros

O "comprador" registou-se como pai da criança em novembro de 2015. Entretanto, os pais biológicos do menino desapareceram do país

Um casal português foi detido ontem em Santa Maria de Feira por inspetores da Polícia Judiciária do Porto por ter comprado um bebé recém-nascido a um casal romeno em dificuldades económicas e sociais. O acordo foi fechado por 2500 euros. A mãe biológica teve o bebé em novembro de 2015, no hospital de Santa Maria da Feira.

A partir daí, o comprador, de 30 anos, registou-se como pai biológico da criança, enquanto a mãe verdadeira desaparecia do país, provavelmente para a Roménia. O homem que adquiriu o menino à margem do sistema legal de adoção fê-lo em conivência com a sua companheira, de 23 anos, que assumiu o papel fictício de sua "prima", apurou o DN com fonte ligada à investigação.

Entretanto, a PJ do Porto recebeu uma denúncia anónima sobre o acordo ilegal e pôs-se em campo a investigar o caso.

Em comunicado emitido hoje, a PJ informa que deteve um casal "pela presumível autoria do crime de tráfico de pessoas e que visava a compra de um bebé recém-nascido, cujo parto ocorreu no hospital".

Os arguidos, de 23 e 30 anos e de etnia cigana, terão tentado comprar a criança em novembro de 2015, a um casal estrangeiro, "com dificuldades económicas e sociais", e mediante o pagamento de "elevada quantia" de dinheiro".

Segundo a PJ, os dois arguidos, que são vendedores ambulantes, tencionavam "assumir a sua paternidade à margem do sistema legal de adoção". Os dois vão ser presentes a primeiro interrogatório judicial para aplicação das medidas de coação tidas por adequadas.

Entretanto a Judiciária continua as diligências para identificar e localizar os pais biológicos da criança.

Ler mais

Exclusivos

Premium

robótica

Quando os robôs ajudam a aprender Estudo do Meio e Matemática

Os robôs chegaram aos jardins-de-infância e salas de aula de todo o país. Seja no âmbito do projeto de robótica do Ministério da Educação, da iniciativa das autarquias ou de outros programas, já há dezenas de milhares de crianças a aprender os fundamentos básicos da programação e do pensamento computacional em Portugal.

Premium

Anselmo Borges

"Likai-vos" uns aos outros

Quem nunca assistiu, num restaurante, por exemplo, a esta cena de estátuas: o pai a dedar num smartphone, a mãe a dedar noutro smartphone e cada um dos filhos pequenos a fazer o mesmo, eventualmente até a mandar mensagens uns aos outros? É nisto que estamos... Por isso, fiquei muito contente quando, há dias, num jantar em casa de um casal amigo, reparei que, à mesa, está proibido o dedar, porque aí não há telemóvel; às refeições, os miúdos adolescentes falam e contam histórias e estórias, e desabafam, e os pais riem-se com eles, e vão dizendo o que pode ser sumamente útil para a vida de todos... Se há visitas de outros miúdos, são avisados... de que ali os telemóveis ficam à distância...