Calçado português reinventa-se a pensar em novos e velhos

Centenário e Ambitious são duas empresas portuguesas de calçado que recriam modelos antigos com materiais diferentes e mais leves, para responder a uma população cada vez mais envelhecida e atrair os mais jovens para a compra de clássicos como o modelo Oxford.

Os primos Hugo e Pedro Ferreira não sabem ao certo quanto é que pesava um par de sapatos clássicos de homem quando há 76 anos o avô de ambos criou a marca Centenário, mas imaginam que o peso seria, certamente, bem superior ao atual, que estimam ser de aproximadamente um quilo e meio. Trata-se de um calçado que usa peles espessas e solas grossas, o que o torna naturalmente mais pesado, mas há algum tempo que já é possível ter os mesmos modelos com um peso 40% inferior e outro tipo de materiais. Uma tendência global, que procura, em parte, responder ao envelhecimento da população.

"Fizemos uma reinvenção dos clássicos com solas mais leves. Demos-lhes um aspeto mais jovem, usando materiais mais atrativos. Isto não só torna estes modelos mais apetecíveis para os mais jovens, como responde às necessidades dos mais velhos, que tendem a deixar de fora os clássicos para ir procurar o conforto. É uma maneira de responder aos dois segmentos", disse ao DN Hugo Ferreira, no decorrer da Colombiamoda, a Semana da Moda da Colômbia, que terminou na passada quinta-feira em Medellín.O peso dos novos modelos é, segundo os responsáveis pela marca, 40% inferior ao dos clássicos. "A pele não é alterada. Para ter um sapato mais leve, não sacrificamos a qualidade da pele. Substituímos o couro da sola por polímeros expandidos, o que dá um ganho considerável em termos de leveza", explicaram. Como se trata apenas da segunda coleção, ainda não é possível fazer uma avaliação da adesão a este tipo de calçado, que "segue a tendência europeia". No entanto, ressalvam, o feedback dos clientes tem sido positivo.
Além do peso, o uso de materiais como a cortiça ou a pele pintada à mão faz com que estes sapatos se adaptem às várias faixas etárias. Segundo os primos, estas reinvenções podem ser feitas nos dois tipos de sistemas usados pela empresa para produzir sapatos: o

blake, no qual há uma fixação direta do corte à sola através de um processo de costura com um equipamento específico; e o goodyear, uma construção diferente da tradicional, que se carateriza pela força, durabilidade e conforto.

Associar leveza ao clássico
A Ambitiuos, marca de calçado português fundada em Portugal em 1994, também se preocupa em desenhar sapatos clássicos leves. Paulo Martins, proprietário, diz que "uma das caraterísticas da marca é a versatilidade do produto", já que está presente em 50 países, o que a obriga a ter "uma coleção abrangente que vai desde o desportivo ao puro clássico". "Mas onde nos concentramos mais é em ter um produto mais jovem, alterado, para que possa chegar a uma faixa etária mais alta, mas que mantém um espírito jovem", adianta ao DN.

Este é um calçado que, segundo Paulo Martins, tem muita aceitação no mercado italiano, já que os homens italianos "gostam de estar na moda, mas têm uma grande preocupação com o conforto". Uma necessidade à qual as empresas respondem com "a transformação de um produto clássico e bruto em algo mais jovem e leve". Reinvenções que rondam os 250 gramas por sapato. "Sendo a população cada vez mais envelhecida, torna-se um mercado apetecível para este tipo de produto. É uma resposta quer para quem gosta de estilos mais clássicos, quer para quem gosta dos mais desportivos".

Coldomiro Teixeira, comercial da marca, explica que "o uso de solas em Eva [etileno vinil acetato], que é mais esponjosa , torna o produto mais leve, o que é interessante para pessoas com mais idade, tal como para quem passa uma grande parte do dia de pé". Fala-nos de um produto clássico, com o conforto de um desportivo, que, além da diferença na sola, pode também usar uma palmilha diferente. "Um par clássico que possa pesar 900 gramas, neste material pesará cerca de 600", sublinha.
De olhos na América do Sul

Além de reinventar os clássicos, a Ambitiuos tem como estratégia redesenhar os desportivos e repensar os casuais. Na Colombiamoda, procurou, pelo terceiro ano consecutivo, "não só aumentar as vendas, mas também expandir a marca". "Numa feira como esta, chegamos ao México, ao Equador, a Miami", frisa Coldomiro, destacando que a Colômbia é um "mercado com o potencial enorme para crescer e Medellín é uma cidade que consome muita moda".

Exclusivos