Buscas para encontrar turista na ilha das Flores feitas apenas por terra

Turistas desapareceu no mar, mas agitação marítima obrigou à retirada de embarcação que participava na operação

A tentativa de encontrar uma turista desaparecida na terça-feira no mar na ilha das Flores começaram hoje às 08:00 locais, com a agitação marítima a obrigar à retirada da embarcação envolvida nas buscas, feitas agora apenas por terra.

O capitão do Porto de Santa Cruz das Flores disse à agência Lusa que as buscas começaram às 08:00 (09:00 no continente), com praticamente todo o dispositivo utilizado na quarta-feira, mas "as vagas de cerca de quatro metros e com tendência a crescer" obrigaram à retirada da embarcação envolvida na operação.

"Esta manhã largou a lancha da autoridade marítima sediada nas Lajes das Flores em direção à área das buscas, contudo, fez-se sentir um agravamento do estado do tempo, designadamente do estado do mar, com forte agitação marítima no local, de modo que a embarcação não tinha condições para continuar as buscas ", disse o comandante Rafael da Silva.

Segundo este responsável, as buscas vão ser feitas "apenas via terrestre" junto à orla costeira, com o apoio dos Bombeiros Voluntários das Lajes das Flores e com o apoio da GNR.

"Já não contaremos com o apoio da Força Aérea Portuguesa nas buscas, porque tal também não se justifica, em primeiro lugar atendendo à evolução da operação e, também, ao agravamento do estado do tempo", afirmou.

Apesar do cenário, o comandante Rafael da Silva confirmou que a intenção é manter as buscas ao longo do dia de hoje, fazendo-se posteriormente uma avaliação face "à evolução da situação".

O alerta para o desaparecimento de uma turista estrangeira com cerca de 30 anos, na Fajã Grande, foi dado por um familiar às 15:20 de terça-feira.

"Foi contactado o 112, que informou o Centro de Busca e Salvamento Marítimo de Ponta Delgada. Começámos a deslocar meios e, às 15:45, chegámos à área de busca", disse Rafael da Silva.

Nesse dia, foi empenhada uma embarcação da Autoridade Marítima, mas dado o estado "muito alteroso [do mar] não houve condições" para o trabalho de outras embarcações, adiantou o responsável.

O capitão do porto de Santa Cruz das Flores salientou que este "incidente resulta de um comportamento perigoso, em concreto a entrada no mar quando este se encontrava muito alteroso", com quatro metros de vaga.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ricardo Paes Mamede

A "taxa Robles" e a desqualificação do debate político

A proposta de criação de uma taxa sobre especulação imobiliária, anunciada pelo Bloco de Esquerda (BE) a 9 de setembro, animou os jornais, televisões e redes sociais durante vários dias. Agora que as atenções já se viraram para outras polémicas, vale a pena revistar o debate público sobre a "taxa Robles" e constatar o que ela nos diz sobre a desqualificação da disputa partidária em Portugal nos dias que correm.

Premium

Rosália Amorim

Crédito: teremos aprendido a lição?

Crédito para a habitação, crédito para o carro, crédito para as obras, crédito para as férias, crédito para tudo... Foi assim a vida de muitos portugueses antes da crise, a contrair crédito sobre crédito. Particulares e também os bancos (que facilitaram demais) ficaram com culpas no cartório. A pergunta que vale a pena fazer hoje é se, depois da crise e da intervenção da troika, a realidade terá mudado assim tanto? Parece que não. Hoje não é só o Estado que está sobre-endividado, mas são também os privados, quer as empresas quer os particulares.