Barco de pesca encalhou em Sagres. Seis tripulantes resgatados

Embarcação encalhou num banco de areia na noite de quinta-feira. Operação de resgate permitiu retirar tripulantes sem ferimentos graves

Faro, 02 set (Lusa) - Uma embarcação de pesca encalhou na noite de quinta-feira na praia do Tonel, em Sagres, com seis tripulantes a bordo, que foram resgatados "sem ferimentos graves", disse hoje à Lusa o Capitão do Porto de Lagos.

"Os tripulantes apresentavam sinais de hipotermia, mas estão todos bem, tendo o seu resgate sido efetuado por terra devido às condições do mar e ao posicionamento da embarcação na zona de rebentação", disse o comandante Carvalho Pinto, Capitão do Porto de Lagos.

A embarcação de pesca "Avô Rita", matriculada em Peniche, mas a operar em Sagres, encalhou num banco de areia, a sul da praia do Tonel, pelas 23:15 de quinta-feira, "desconhecendo-se as causas que provocaram a sua incapacidade de governo".

O barco está encalhado na areia, "aparentemente sem danos estruturais", decorrendo os preparativos para que se iniciem as operações da sua remoção, "o que deverá ocorrer a partir das 15:00 com a maré cheia".

"Até ao momento não se registaram quaisquer focos de poluição. Estão a ser retiradas as redes e outros apetrechos, trabalhos efetuados por uma empresa de salvamento marítimo que será a responsável pela remoção da embarcação", destacou aquele comandante.

Nas operações de resgate dos tripulantes, que terminaram pelas 00:40 de hoje, estiveram envolvidos dois agentes da Polícia Marítima, uma embarcação da Estação Salva-vidas do Instituo de Socorros a Náufragos (ISN) de Sagres, os militares da Marinha, a prestar serviço na Autoridade Marítima Nacional durante a época balnear, integrados no projeto "Sea Watch" do ISN e os bombeiros de Vila do Bispo.

Exclusivos

Premium

história

A América foi fundada também por angolanos

Faz hoje, 25 de agosto, exatos 400 anos que desembarcaram na América os primeiros negros. Eram angolanos os primeiros 20 africanos a chegar à América - a Jamestown, colónia inglesa acabada se ser fundada no que viria a ser o estado da Virgínia. O jornal The New York Times tem vindo a publicar uma série de peças jornalísticas, inseridas no Project 1619, dedicadas ao legado da escravatura nos Estados Unidos. Os 20 angolanos de Jamestown vinham num navio negreiro espanhol, a caminho das minas de prata do México; o barco foi apresado por piratas ingleses e levados para a nova Jamestown. O destino dos angolanos acabou por ser igual ao de muitos colonos ingleses: primeiro obrigados a trabalhar como contratados e, ao fim de alguns anos, livres e, por vezes, donos de plantações. Passados sete anos, em 1626, chegaram os primeiros 11 negros a Nova Iorque (então, Nova Amesterdão) - também eram angolanos. O Jornal de Angola publicou ontem um longo dossiê sobre estes acontecimentos que, a partir de uma das maiores tragédias da História moderna, a escravatura, acabaram por juntar o destino de dois países, Angola e Estados Unidos, de dois continentes distantes.