Autarca de Pedrógão critica combate ao fogo

Valdemar Alves diz que estrutura da Proteção Civil não teve um elemento de ligação dos bombeiros locais que conhecesse o terreno

O presidente da Câmara de Pedrógão, Valdemar Alves, criticou esta quinta-feira "o sistema" da Proteção Civil que coordenou o combate ao incêndio que deflagrou no seu concelho. Valdemar Alves considera que os bombeiros locais foram afastados da estrutura de comando, o que deixou as companhias que vieram de todo o país quase às cegas no terreno.

Para o autarca, "o elevado número de mortes" logo no início da catástrofe "deixou as pessoas desorientadas" e terá sido por isso que os bombeiros "em vez de combater o fogo" andaram a "evacuar pessoas"

"Acompanho fogos nesta região desde criança. Sempre vi os bombeiros a combater o fogo, até a bater nele com ramos", começou por dizer Valdemar Alves, dizendo não ter gostado da opção de evacuação de algumas aldeias.

"Houve um presidente de Junta que, juntamente com outras pessoas, queria ficar e ajudar a combater os incêndios. Disseram-me para lhe dizer que ou ele saía ou vinha algemado", contou Valdemar Alves.

Nos últimos dias, Valdemar Alves disse ter presenciado "esforço e dedicação" por parte das autoridades, mas criticou o "sistema", "a maneira de estar no terreno". "Falta uma ligação direta. Os bombeiros que chegam de fora devem ter um elemento de ligação aos bombeiros locais. Há uns dias, apareceram-me uns bombeiros de Lisboa num local que ficava a 5 km do sítio para abastecer"

Exclusivos