Átrio norte da estação de metro dos Anjos encerrado dois meses para obras

Estação dos Anjos é uma das mais antigas da rede do metropolitano da capital

O átrio norte da estação dos Anjos do Metropolitano de Lisboa estará encerrado a partir de terça-feira, por um período estimado de dois meses, para a realização de obras de beneficiou, informou a empresa.

"No dia 27 de junho o átrio norte da estação Anjos vai ser alvo de obras de beneficiação, encerrando provisoriamente ao público", lê-se numa nota informativa disponível na página na Internet do Metropolitano de Lisboa, que acrescenta que o átrio sul daquela estação da Linha Verde "mantém-se aberto durante o horário de exploração (06:30-01:00) para os movimentos de entrada e saída da estação".

De acordo com o Metropolitano de Lisboa, a estação dos Anjos é uma das mais antigas da rede -- foi inaugurada em 1966 -, e perante tal facto "apresenta sinais de desgaste e envelhecimento que importa corrigir".

A empresa informa que o espaço do átrio norte da estação será alvo de uma limpeza profunda, que inclui pavimento, teto, superfícies vidradas, equipamentos. Está também prevista a pintura do espaço e a substituição integral do teto falso.

A execução da obra tem um prazo previsto de 60 dias "planeados de modo a minimizar os incómodos causados", segundo refere a nota informativa do Metropolitano de Lisboa.

Estas obras de beneficiação no átrio norte da estação dos Anjos irão coexistir, durante um dado período, com as obras na estação de Arroios, também da Linha Verde, que liga o Cais do Sodré a Telheiras.

Já a estação de Arroios encerra no próximo dia 19 de julho durante 18 meses para obras que vão permitir o funcionamento de comboios com seis carruagens na Linha Verde e que custarão mais de sete milhões de euros.

As obras na estação de Arroios serão as mais relevantes entre as pequenas intervenções que estão previstas para as estações do metropolitano lisboeta, realçou o ministro do Ambiente, João Matos Fernandes, à margem do anúncio do Plano de Desenvolvimento Operacional da Rede do Metropolitano de Lisboa, em maio passado.

No total, as pequenas intervenções planeadas representam um investimento previsto de 16,2 milhões de euros.

Ler mais

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.