Atribuídos prémios de apoio e melhoria da saúde dos idosos

Os Prémios Nunes Correa Verdades de Faria foram hoje entregues, distinguindo personalidades que se destacaram no apoio aos idosos e progressos na área da saúde

A Santa Casa da Misericórdia de Lisboa atribuiu hoje os Prémios Nunes Correa Verdades de Faria, que distinguiram Horácio Carvalho Pereira, provedor da Santa Casa da Misericórdia de Grândola, Eduardo Nimá Doutel Haghighi, médico especialista em geriatria, e Polybio Serra e Silva, médico especialista em medicina interna e cardiologista.

A cerimónia, que decorreu na residência Faria Monteiro, distinguiu Horácio Carvalho Pereira pelo cuidado e carinho dispensados aos idosos desprotegidos, pelo seu trabalho em Grândola, com a construção de um refeitório para 400 pessoas, de 14 moradias para famílias desfavorecidas, a construção de um dos primeiros equipamentos em Portugal para pessoas acamadas ou dependentes com capacidade para 54 utentes, e ainda um equipamento em substituição do antigo Hospital da Misericórdia para 56 utentes. Todos estes projetos permitiram que em Grândola houvesse um aumento de 40 para 150 pessoas em regime de internamento.

O Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Grândola garante que os 12 500 euros de prémio individual serão entregues à Santa Casa da Misericórdia de Pedrógão Grande, em consequência do incêndio que deflagrou no concelho e que vitimou 64 pessoas.

O prémio de progresso da medicina na sua aplicação às pessoas idosas foi entregue a Eduardo Haghighi, que criou a Primeira Unidade de Internamento de Geriatria em Portugal, no Hospital de Vila Franca de Xira, onde exerce. "Mais do que um prémio, o dia de hoje é o reconhecimento de horas, dias, meses e anos a cuidar dos idosos. É o reconhecimento que quando dedicamos trabalho e tempo conseguimos alcançar algo digno de prémio", afirmou Haghighi.

Também Polybio Serra e Silva foi distinguido pelo progresso no tratamento das doenças de coração, em consequência do seu trabalho nos campos da prevenção contra as doenças cardíacas. Fernando Pádua, membro do júri, referiu que Polybio Serra e Silva foi o primeiro a referir a importância da aposta na prevenção dos problemas de coração nas crianças, através da sensibilização. "Começando a educar as crianças neste sentido, temos hoje 80% menos casos de doenças de Acidente Vascular Cerebral (AVC)".

Pedro Santana Lopes, provedor da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, relembrou que os Prémios Nunes Correa Verdades de Faria foram iniciativa de Enrique Mantero Belard, que deixou grande parte da sua herança à Santa Casa da Misericórdia e que pretendia assim galardoar anualmente personalidades que contribuam para estas três áreas. "É bom participarmos numa sessão em que as pessoas são faladas por fazerem o bem, pelas suas atitudes nobres e pelo apoio aos outros", referiu Pedro Santana Lopes.

O júri dos prémios foi constituído por Helena Lopes da Costa, administradora da Santa Casa da Misericórdia, pelo médico-cirurgião Fernando Pádua, pelo padre Vítor Melícias, pelo especialista em cardiologia e medicina interna João Pedro Gorjão Clara e pelo cirurgião José Guimarães dos Santos.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Almeida Moreira

Bolsonaro, curiosidade ou fúria

Perante um fenómeno que nos pareça ultrajante podemos ter uma de duas atitudes: ficar furiosos ou curiosos. Como a fúria é o menos produtivo dos sentimentos, optemos por experimentar curiosidade pela ascensão de Jair Bolsonaro, o candidato de extrema-direita do PSL em quem um em cada três eleitores brasileiros vota, segundo sondagem de segunda-feira do banco BTG Pactual e do Instituto FSB, apesar do seu passado (e presente) machista, xenófobo e homofóbico.