Assalto a multibanco danifica companhia de seguros e viaturas

Uma hora antes, um outro multibanco tinha sido assaltado em Leiria

Uma caixa multibanco localizada nas instalações de uma companhia de seguros nas Caldas da Rainha foi esta madrugada assaltada com recurso a explosão, confirmou fonte da PSP à agência Lusa.

A explosão ocorreu "próximo das 06:00, sendo o segundo verificado num espaço de uma hora no distrito de Leiria", acrescentou a fonte da PSP.

Testemunhas no local confirmaram à Lusa que o assalto envolveu "quatro pessoas encapuzadas", uma das quais "armada com uma pistola-metralhadora".

De acordo com o mesmo morador, os assaltantes terão "levado as gavetas do dinheiro" deixando para trás "apenas uma nota de 20 euros".

A explosão causou danos na montra e na porta da companhia de seguros onde a caixa multibanco se encontrava instalada e em duas viaturas estacionadas próximo do edifício.

O local foi isolado pela PSP até à chegada da Polícia Judiciária de Coimbra para recolha de indícios.

De acordo com a PSP, uma outra caixa multibanco tinha sido danificada em Leiria, cerca de uma hora antes, mas as autoridades não confirmaram se a o dinheiro foi retirado.

Leiria dista 53 quilómetros das Caldas da Rainha, cerca de 40 minutos de autoestrada.

O assalto ocorreu pelas 05:00, numa caixa multibanco situada no edifício de uma escola de condução junto à Estrada da Estação.

Segundo relatou um morador, por volta dessa hora, "ouviu-se um estrondo", tendo verificado pouco depois que se tratou do assalto à caixa de multibanco.

A loja da escola de condução ficou com danos visíveis.

A investigação está também a cargo da Polícia Judiciária de Coimbra.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ricardo Paes Mamede

A "taxa Robles" e a desqualificação do debate político

A proposta de criação de uma taxa sobre especulação imobiliária, anunciada pelo Bloco de Esquerda (BE) a 9 de setembro, animou os jornais, televisões e redes sociais durante vários dias. Agora que as atenções já se viraram para outras polémicas, vale a pena revistar o debate público sobre a "taxa Robles" e constatar o que ela nos diz sobre a desqualificação da disputa partidária em Portugal nos dias que correm.

Premium

Rosália Amorim

Crédito: teremos aprendido a lição?

Crédito para a habitação, crédito para o carro, crédito para as obras, crédito para as férias, crédito para tudo... Foi assim a vida de muitos portugueses antes da crise, a contrair crédito sobre crédito. Particulares e também os bancos (que facilitaram demais) ficaram com culpas no cartório. A pergunta que vale a pena fazer hoje é se, depois da crise e da intervenção da troika, a realidade terá mudado assim tanto? Parece que não. Hoje não é só o Estado que está sobre-endividado, mas são também os privados, quer as empresas quer os particulares.