Venda de manuais escolares. ASAE instaura sete processos de contraordenação

A Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) anunciou hoje ter instaurado sete processos de contraordenação na venda de manuais escolares, incluindo através da internet, no âmbito de uma fiscalização a 159 operadores económicos a nível nacional.

"As principais infrações detetadas estão relacionadas com o incumprimento das regras relativas a oferta de promoções e requisitos no âmbito do livro de reclamações", explica a ASAE, em comunicado.

Em causa está uma operação de fiscalização realizada na última semana em todo o país para a verificação do cumprimento das normas relacionadas com a comercialização de manuais escolares na salvaguarda da defesa do consumidor e do exercício de práticas comerciais leais.

"Este tipo de ação de fiscalização, intensificada nesta altura do ano devido ao aproximar do início do ano escolar em que ocorre um aumento da procura e aquisição de manuais escolares, teve como objetivo principal verificar as normas de comercialização e preços praticados com intensificação da fiscalização 'online' em sites de operadores económicos, face ao aumento deste tipo de venda de manuais escolares", nota a ASAE.

Esta autoridade administrativa alerta, ainda, para obrigatoriedades como a indicação do preço de venda ao público na capa ou na contracapa dos manuais escolares, o condicionamento da venda de manuais escolares à sua compra em conjunto e ainda a substituição, alteração ou violação do caráter máximo do preço de venda ao público indicado em cada manual escolar ou outro recurso didático pedagógico.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Gobern

País com poetas

Há muito para elogiar nos que, sem perspectivas de lucro imediato, de retorno garantido, de negócio fácil, sabem aproveitar - e reciclar - o património acumulado noutras eras. Ora, numa fase em que a Poesia se reergue, muitas vezes por vias "alternativas", de esquecimentos e atropelos, merece inteiro destaque a iniciativa da editora Valentim de Carvalho, que decidiu regressar, em edições "revistas e aumentadas", ao seu magnífico espólio de gravações de poetas. Originalmente, na colecção publicada entre 1959 e 1975, o desafio era grande - cabia aos autores a responsabilidade de dizerem as suas próprias criações, acabando por personalizá-las ainda mais, injectando sangue próprio às palavras que já antes tinham posto ao nosso dispor.