ASAE fecha conserveira ilegal e apreende 300 mil embalagens

De acordo com a Unidade Regional do Norte, o espaço funcionava "sem o número de controlo veterinário obrigatório" e sem "condições de higiene e estruturais"

A Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) revelou esta segunda-feira ter encerrado uma conserveira a funcionar na área do Grande Porto de forma "ilegal", sem "condições de higiene", tendo apreendido cerca de 300 mil embalagens de conservas de peixe.

Em comunicado, a ASAE acrescenta que, durante a operação, apreendeu ainda 450 mil embalagens vazias, 16 bidões de molho de tomate, 9.900 caixas de cartão, 24.730 rótulos diversos e 700 quilos de sal, avaliados em mais de 200 mil euros.

De acordo com a ASAE, a investigação realizada pela Unidade Regional do Norte levou ao "cancelamento" da "indústria conserveira ilegal" situada na área do Grande Porto, que funcionava "sem o número de controlo veterinário obrigatório" e sem "condições de higiene e estruturais".

A ASAE esclarece que a atividade da conserveira ""consistia essencialmente no reembalamento de conservas", feito em "instalações sem as mínimas condições de higiene e de segurança alimentar".

De acordo com a ASAE, a fiscalização foi realizada no final da semana passada e determinou "a suspensão imediata da atividade" da conserveira.

Exclusivos