António Costa fora da tribuna da Cimeira do Clima

Executivo acusa o anterior Governo de não se ter inscrito a tempo. Fonte do Executivo de Passos diz que Costa não aceitou a ordem em que iria discursar

A TSF avança que o primeiro-ministro português não vai discursar na Cimeira das Nações Unidas, que arrancou esta manhã em Paris, na qual quase 150 líderes mundiais vão discutir medidas para lutar contra as alterações climáticas, tentando obter um acordo vinculativo para reduzir as emissões de gases com efeito de estufa.

De acordo com a rádio, o ministro do Ambiente, João Matos Fernandes, disse que António Costa não iria discursar na tribuna do evento porque o anterior Executivo não fez a inscrição atempadamente.

No entanto, fonte do governo de Pedro Passos Coelho garantiu que a inscrição foi feita, ressalvando que nessa altura ainda não se saberia qual seria o primeiro-ministro de Portugal - Passos ou Costa - e, assim, qual iria marcar presença no evento. Essa fonte terá garantido à TSF que a organização da cimeira foi compreensiva relativamente à situação e que, mal o novo governo tomou posse foi feita a inscrição com o nome do primeiro-ministro. Só que, segundo avança a rádio, o líder do PS declinou a presença na tribuna dos discursos por ser um dos últimos a discursar.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Margarida Balseiro Lopes

Legalização do lobbying

No dia 7 de junho foi aprovada, na Assembleia da República, a legalização do lobbying. Esta regulamentação possibilitará a participação dos cidadãos e das empresas nos processos de formação das decisões públicas, algo fundamental num Estado de direito democrático. Além dos efeitos práticos que terá o controlo desta atividade, a aprovação desta lei traz uma mensagem muito importante para a sociedade: a de que também a classe política está empenhada em aumentar a transparência e em restaurar a confiança dos cidadãos no poder político.