Urban Beach: Segurança detido por "fortes indícios" de ofensas graves à integridade física

Segurança detido vai ser hoje presente ao juiz de instrução criminal para primeiro interrogatório e aplicação das medidas de coação adequadas

DN/Lusa
© ANTÓNIO PEDRO SANTOS/LUSA

Um dos seguranças envolvidos nas agressões a jovens junto às instalações da discoteca Urban Beach, em Lisboa, foi detido por "fortes indícios" do crime de ofensas à integridade física graves, indicou hoje a PSP.

Em comunicado, a direção nacional da Polícia de Segurança Pública adianta que foi hoje localizado e detido um dos agressores "através do cumprimento de mandado de detenção fora de flagrante delito, emitido por autoridade de polícia criminal, por fortes indícios da prática do crime de ofensas à integridade física graves".

A Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa (PGDL) refere que o segurança detido vai ser hoje presente ao juiz de instrução criminal para primeiro interrogatório e aplicação das medidas de coação adequadas e necessárias.

A PSP explica que, na madrugada de quarta-feira, vigilantes de segurança privada a prestar serviço na discoteca Urban Beach, em Lisboa, agrediram três pessoas que se encontravam nas imediações deste estabelecimento, tendo sido feito um vídeo, onde ficaram registadas as agressões.

A Polícia sublinha que, após o registo da ocorrência, a análise do vídeo publicamente divulgado e de diligências policiais, foi possível identificar os agredidos e os vigilantes agressores.

A PGDL destaca também que a PSP realizou, durante a madrugada de hoje, "inúmeras diligências cautelares de recolha urgente de meios de prova para identificação dos respetivos autores dos crimes divulgados, efetuadas no âmbito do inquérito instaurado pelo Ministério Público".

"A Polícia de Segurança Pública, no exercício das suas competências no âmbito do licenciamento, controlo e fiscalização das atividades de segurança privada, encontra-se a desenvolver diligências justificadas no quadro legal que regula o setor", indica ainda a nota da direção nacional da PSP.

A investigação decorre no Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Lisboa, na unidade especial de combate ao crime especialmente violento (UECCEV), com a coadjuvação da PSP.

O Ministério da Administração Interna ordenou o encerramento do espaço hoje de madrugada, alegando não só o episódio de quarta-feira, mas também as 38 queixas sobre a Urban Beach apresentadas à PSP desde o início do ano.

O Ministério Público também já abriu um inquérito sobre as agressões, investigação que decorre em articulação com a PSP.