A voz de Stephen Hawking foi enviada para um buraco negro

"É uma mensagem de paz e esperança, sobre união e sobre a nossa necessidade de vivermos juntos em harmonia neste planeta", adiantou a filha Lucy Hawking

Um registo da voz sintetizada do astrofísico Stephen Hawking será enviada para o espaço na sexta-feira, quando forem depositadas as suas cinzas junto às sepulturas de Isaac Newton e de Charles Darwin, na Abadia de Westminster, em Londres.

O registo de som realizado pelo compositor grego de música eletrónica Vangelis, que integra a voz sintetizada de Stephen Hawking, será enviado pela Agência Espacial Europeia em direção ao buraco negro 1A 0620-00, aquele que se encontra mais próximo do planeta Terra.

"É um belo gesto, simbólico, que cria uma ligação entre a presença do nosso pai neste planeta, as suas intenções de ir ao espaço e os seus trabalhos de investigação sobre o universo", disse a sua filha, Lucy Hawking, citada pela agência France Press.

"É uma mensagem de paz e esperança, sobre união e sobre a nossa necessidade de vivermos juntos em harmonia neste planeta", adiantou.

Membros da família do físico, amigos e colegas vão marcar presença durante a cerimónia de despedida do investigador, que morreu a 14 de março com 76 anos e que tinha dedicado a sua vida a tentar compreender os mistérios do universo.

O astronauta britânico Tim Peake, o professor de astronomia Maryin Rees e o ator Benedict Cumberbatch, que encarnou o cientista num filme, usarão da palavra no decorrer da cerimónia.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Almeida Moreira

Bolsonaro, curiosidade ou fúria

Perante um fenómeno que nos pareça ultrajante podemos ter uma de duas atitudes: ficar furiosos ou curiosos. Como a fúria é o menos produtivo dos sentimentos, optemos por experimentar curiosidade pela ascensão de Jair Bolsonaro, o candidato de extrema-direita do PSL em quem um em cada três eleitores brasileiros vota, segundo sondagem de segunda-feira do banco BTG Pactual e do Instituto FSB, apesar do seu passado (e presente) machista, xenófobo e homofóbico.

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.