Acidente com camião corta trânsito há várias horas na Ponte Açude de Coimbra

Trânsito cortado há mais de sete horas. Camião tombou ao iniciar a travessia da ponte

O trânsito está cortado há mais de sete horas na Ponte Açude de Coimbra após um camião ter tombado ao iniciar a travessia do rio Mondego, disseram fontes dos Bombeiros e da PSP perto das 18:00 de hoje.

O acidente verificou-se cerca das 10:30, quando um veículo pesado proveniente do lado de Taveiro, que "transportava vigas metálicas de grandes dimensões", tombou para o lado esquerdo, tendo a carga caído sobre o separador central já próximo do tabuleiro da ponte, disse uma fonte dos Bombeiros Sapadores de Coimbra (BSC) à agência Lusa.

Devido à obstrução da via e para permitir a limpeza do pavimento, bem como a remoção da viatura e da carga, a circulação automóvel estava ainda interrompida nos dois sentidos, às 17:30, provocando congestionamentos do tráfego da zona, nas duas margens do rio.

A fonte da PSP, por sua vez, disse que "não resultaram feridos do acidente" e que não há ainda uma previsão para a conclusão dos trabalhos e a reabertura da Ponte Açude.

O camião sinistrado transportava uma carga de entre 25 e 30 toneladas, constituída por seis estruturas metálicas.

Além de elementos da PSP, acorreram ao local 20 operacionais dos BSC e dos Bombeiros Voluntários da cidade, com oito viaturas, que procederam à limpeza de detritos vários e gasóleo derramado no pavimento.

Ao fim da tarde, permaneciam no local, acompanhando os trabalhos de desobstrução, quatro elementos e uma viatura dos Bombeiros Sapadores.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

O relatório do Conselho de Segurança

A Carta das Nações Unidas estabelece uma distinção entre a força do poder e o poder da palavra, em que o primeiro tem visibilidade na organização e competências do Conselho de Segurança, que toma decisões obrigatórias, e o segundo na Assembleia Geral que sobretudo vota orientações. Tem acontecido, e ganhou visibilidade no ano findo, que o secretário-geral, como mais alto funcionário da ONU e intervenções nas reuniões de todos os Conselhos, é muitas vezes a única voz que exprime o pensamento da organização sobre as questões mundiais, a chamar as atenções dos jovens e organizações internacionais, públicas e privadas, para a necessidade de fortalecer ou impedir a debilidade das intervenções sustentadoras dos objetivos da ONU.