"A quantas mais? Não tens o direito". Jovem respondeu a apalpão com murro

Reação da jovem mexicana tornou-se viral e chama atenção para assédio nos transportes públicos

Um vídeo partilhado na rede social Facebook por uma jovem mexicana tornou-se viral no país. Segundo a jovem, esta sentiu um apalpão no metro e respondeu com um murro - no vídeo é possível ver o homem sentado no chão, agarrado à cabeça, enquanto a mulher o insulta. Na Cidade do México, onde a violência de género e o assédio nos transportes públicos está na ordem do dia, muitos aplaudem a atitude da jovem, ao fazer frente à agressão, mas outros criticam a resposta violenta.

Konni Lus relatou a situação na sua conta de Facebook - que entretanto deixou de estar pública. Disse ter sido vítima de assédio quando estava com uma amiga na estação de metro - o homem fugiu e até conseguiu passar por uma polícia que o tentou parar, mas acabou por ser imobilizado por outras pessoas que ouviram os gritos. E em seguida Konni Lus agrediu o jovem, deixando-o a sangrar. No vídeo é possível ouvir-se a jovem a gritar com o homem sentado no chão: "A quantas mais? Não tens o direito". O rapaz vai pedindo desculpa, até ser levado pela polícia.

"Não me vou desculpar por defender-me, por estar furiosa e indignada. Isto passa-se com muitas mulheres e até com homens", escreveu a jovem no Facebook.

Os transportes públicos da Cidade do México têm fama de ser poucos seguros, sobretudo para as mulheres: 65% das passageiras afirma ter sido vítima de assédio sexual. No final de abril a Secretaría de Seguridad Pública da cidade colocou mais de mil polícias nos transportes exatamente para prevenir a violência sexual contra mulheres.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Opinião

Os irados e o PAN

A TVI fez uma reportagem sobre um grupo de nome IRA, Intervenção e Resgate Animal. Retirados alguns erros na peça, como, por exemplo, tomar por sério um vídeo claramente satírico, mostra-se que estamos perante uma organização de justiceiros. Basta, aliás, ir à página deste grupo - que tem 136 000 seguidores - no Facebook para ter a confirmação inequívoca de que é um grupo de gente que despreza a lei e as instituições democráticas e que decidiu fazer aquilo que acha que é justiça pelas suas próprias mãos.

Premium

Margarida Balseiro Lopes

Falta (transparência) de financiamento na ciência

No início de 2018 foi apresentado em Portugal um relatório da OCDE sobre Ensino Superior e a Ciência. No diagnóstico feito à situação portuguesa conclui-se que é imperativa a necessidade de reformar e reorganizar a Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), de aumentar a sua capacidade de gestão estratégica e de afastar o risco de captura de financiamento por áreas ou grupos. Quase um ano depois, relativamente a estas medidas que se impunham, o governo nada fez.