"A quantas mais? Não tens o direito". Jovem respondeu a apalpão com murro

Reação da jovem mexicana tornou-se viral e chama atenção para assédio nos transportes públicos

Um vídeo partilhado na rede social Facebook por uma jovem mexicana tornou-se viral no país. Segundo a jovem, esta sentiu um apalpão no metro e respondeu com um murro - no vídeo é possível ver o homem sentado no chão, agarrado à cabeça, enquanto a mulher o insulta. Na Cidade do México, onde a violência de género e o assédio nos transportes públicos está na ordem do dia, muitos aplaudem a atitude da jovem, ao fazer frente à agressão, mas outros criticam a resposta violenta.

Konni Lus relatou a situação na sua conta de Facebook - que entretanto deixou de estar pública. Disse ter sido vítima de assédio quando estava com uma amiga na estação de metro - o homem fugiu e até conseguiu passar por uma polícia que o tentou parar, mas acabou por ser imobilizado por outras pessoas que ouviram os gritos. E em seguida Konni Lus agrediu o jovem, deixando-o a sangrar. No vídeo é possível ouvir-se a jovem a gritar com o homem sentado no chão: "A quantas mais? Não tens o direito". O rapaz vai pedindo desculpa, até ser levado pela polícia.

"Não me vou desculpar por defender-me, por estar furiosa e indignada. Isto passa-se com muitas mulheres e até com homens", escreveu a jovem no Facebook.

Os transportes públicos da Cidade do México têm fama de ser poucos seguros, sobretudo para as mulheres: 65% das passageiras afirma ter sido vítima de assédio sexual. No final de abril a Secretaría de Seguridad Pública da cidade colocou mais de mil polícias nos transportes exatamente para prevenir a violência sexual contra mulheres.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Gobern

País com poetas

Há muito para elogiar nos que, sem perspectivas de lucro imediato, de retorno garantido, de negócio fácil, sabem aproveitar - e reciclar - o património acumulado noutras eras. Ora, numa fase em que a Poesia se reergue, muitas vezes por vias "alternativas", de esquecimentos e atropelos, merece inteiro destaque a iniciativa da editora Valentim de Carvalho, que decidiu regressar, em edições "revistas e aumentadas", ao seu magnífico espólio de gravações de poetas. Originalmente, na colecção publicada entre 1959 e 1975, o desafio era grande - cabia aos autores a responsabilidade de dizerem as suas próprias criações, acabando por personalizá-las ainda mais, injectando sangue próprio às palavras que já antes tinham posto ao nosso dispor.