Inédito. Cientistas filmam macacas a forçar sexo com veados no Japão

"É, possivelmente, um novo comportamento que pode ser socialmente transmitido e que se vai disseminar", afirma Cédric Sueur da Universidade de Estrasburgo, coautor do estudo

Cientistas observaram macacas adolescentes a iniciar comportamentos sexuais com veados Sika, no Japão e, ainda que as razões sejam desconhecidas, o grupo de especialistas que está a investigar acredita que esta poderá vir a ser uma nova "tradição comportamental".

Não é a primeira vez que animais de diferentes espécies têm interações de cariz sexual, mas entre espécies com tão poucas semelhanças a prática é muito pouco comum - o único exemplo conhecido é o do lobo-marinho-antártico com o pinguim-rei.

No início do ano, um grupo de cientistas tinha já relatado uma interação pouco clara entre um macaco japonês e um veado Sika fêmea. Mas, num estudo mais recente, publicado no Archives of Sexual Behaviour, outros cientistas aprofundaram novos casos na cidade de Minoo, na província de Osaka, no Japão, e acreditam que estas interações são, de facto, sexuais.

Apenas fêmeas foram vistas a interagir com os veados. As macacas, que são conhecidas por terem interações sexuais com outras macacas adolescentes, foram filmadas pelos cientistas.

Os dados não revelaram diferenças significativas nas interações entre macacos e veados e entre macacos com os da sua espécie, à exceção do movimento pélvico, que era mais frequente com o veado como parceiro.

"É, possivelmente, um novo comportamento que pode ser socialmente transmitido e que se vai disseminar", afirma Cédric Sueur da Universidade de Estrasburgo, coautor do estudo, citado pelo The Guardian. "Os macacos agem de acordo com a razão sexual [proporção de machos e fêmeas numa população] na época reprodutiva: se as fêmeas não conseguem interagir com os machos, podem ter relações homossexuais, ou relações com veados".

Quando os veados rejeitavam a interação, os especialistas repararam que as macacas gemiam de frustração.

Entre as várias razões que poderão ter levado a este comportamento, os autores concluem que possa ser uma preparação das macacas adolescentes para futuras relações com outros macacos, uma vez que estes são mais agressivos, ou pode ser o resultado da rejeição das macacas adolescentes por parte dos macacos adultos.

Resta saber se este comportamento peculiar é uma "moda temporária, ou o início de um fenómeno cultural permanente", referem os autores.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG