Incêndio em prédio de Cascais foi dominado. Seis pessoas assistidas ns hospital

Bombeiros precisaram de seis horas para controlar as chamas

Um incêndio que deflagrou hoje de madrugada num edifício habitacional em Cascais obrigou seis pessoas a receberem tratamento hospitalar, por inalação de fumos. O fogo foi dado como dominado às 09:30, ao fim de mais de seis horas de combate às chamas, disse à Lusa fonte dos bombeiros.

Segundo o Comandante Operacional distrital de Lisboa, Carlos Mata, ainda decorrem as operações de rescaldo do incêndio que se propagou do 4.º ao 9.º piso do Edifício Cascais Atrium, na Rua da Torre.

A mesma fonte adiantou que seis pessoas foram assistidas apenas por precaução no Hospital de Cascais, devido à inalação de fumos.

Carlos Mata explicou à Lusa que o combate ao incêndio foi dificultado por este ter deflagrado não apenas no interior das habitações, mas também no exterior, no átrio de acesso ao edifício.

A dificuldade em combater o fogo deveu-se ainda à dimensão do edifício e ao facto de os apartamentos serem maioritariamente em madeira, acrescentou. Alguns bombeiros tiveram que ser assistidos por causa do cansaço.

No total arderam seis dos dez pisos que compõem o edifício. O incêndio começou no quarto piso, às 03:08, mas ainda são desconhecidas as causas.

No local permanecem ainda 94 operacionais dos bombeiros, da PSP, da Polícia Municipal e da proteção Civil.

No combate às chamas estão envolvidos 94 operacionais e 37 veículos, englobando forças dos bombeiros, da PSP e do Serviço Municipal de Proteção Civil de Cascais.

Exclusivos

Premium

Legionela

Maioria das vítimas quer "alguma justiça" e indemnização do Estado

Cinco anos depois do surto de legionela que matou 12 pessoas e infetou mais de 400, em Vila Franca de Xira, a maioria das vítimas reclama por indemnização. "Queremos que se faça alguma justiça, porque nunca será completa", defende a associação das vítimas, no dia em que começa a fase de instrução do processo, no tribunal de Loures, que contempla apenas 73 casos.