Hospital de Braga recebe prémio de eficiência ambiental e energética

Unidade hospitalar já foi distinguida este ano pela Entidade Reguladora da Saúde como o melhor hospital do país

Primeiro hospital no norte do país a obter certificação ambiental, o Hospital de Braga foi agora reconhecido com o Prémio EDP Energia Elétrica e Ambiente, que distingue as empresas portuguesas com boas práticas nos campos da eficiência energética e sustentabilidade ambiental.

O prémio "Vencedor Absoluto - Serviços e Outras Atividades" foi atribuído no Convento do Beato, em Lisboa, na festa da 10.ª edição do prémio.

O projeto resultou de um investimento superior a um milhão de euros e fez com que fossem implementadas medidas que permitirão uma poupança de de cerca de 40% em relação aos consumos do Hospital de Braga em 2013. Assim, em 2016, ainda com o projeto em andamento, visto que este foi de junho de 2014 a março de 2017, o investimento fez com que os consumos de eletricidade e gás natural diminuíssem na ordem do meio milhão de euros.

“É um investimento que estamos a fazer para que no futuro possamos todos ganhar, com este projeto o Hospital de Braga está a fazer a sua parte ao diminuir a sua pegada ecológica. Estimamos que possamos vir a poupar cerca de 900 mil euros por ano em consumos”, disse o presidente da Comissão Executiva do Hospital de Braga, João Ferreira.

O Hospital de Braga foi também, este ano, reconhecido pela Entidade Reguladora da Saúde como o melhor hospital de Portugal por ter recebido a classificação nacional de "Excelência Clínica".

Exclusivos

Premium

Alentejo

Clínicos gerais mantêm a urgência de pediatria aberta. "É como ir ao mecânico ali à igreja"

No hospital de Santiago do Cacém só há um pediatra no quadro e em idade de reforma. As urgências são asseguradas por este, um tarefeiro, clínicos gerais e médicos sem especialidade. Quando não estão, os doentes têm de fazer cem quilómetros para se dirigirem a outra unidade de saúde. O Alentejo é a região do país com menos pediatras, 38, segundo dados do ministério da Saúde, que desde o início do ano já gastou mais de 800 mil euros em tarefeiros para a pediatria.