Homem de 74 anos vai ser julgado por homicídio pela terceira vez

Septuagenário, acusado de matar amigo, garante que agiu em legítima defesa. Foi absolvido nos dois primeiros julgamentos

O Tribunal de Aveiro começou hoje a julgar pela terceira vez um homem, de 74 anos, acusado de ter matado um amigo há quase cinco anos, em Sever do Vouga.

Na primeira sessão do julgamento, o septuagenário voltou a alegar que agiu em legítima defesa, sustentando que o amigo é que o queria matar.

"Não o queria matar de maneira nenhuma. Nunca fiz mal a ninguém na minha vida. Ele veio atrás de mim com a faca no ar e tive que o matar, senão morria eu", disse o arguido.

A repetição do julgamento foi ordenada pelo Tribunal da Relação do Porto, devido à existência de contradições entre os factos provados e a decisão de direito.

Já antes o Tribunal da Relação de Coimbra tinha mandado reabrir a audiência para que fosse realizada uma reconstituição do crime.

Nos dois primeiros julgamentos, o tribunal coletivo absolveu o arguido do crime de homicídio privilegiado.

O homicida foi ainda absolvido do pagamento de uma indemnização civil aos familiares da vítima, tendo sido condenado a dois anos e três meses de prisão, com pena suspensa, por posse de arma proibida.

Os factos ocorreram na noite de 14 de setembro de 2011, junto ao café da Associação Desportiva e Cultural de Lourizela, em Sever do Vouga.

Segundo a acusação do Ministério Público, o crime terá sido precedido de uma discussão durante a tarde entre os dois septuagenários.

Nesse mesmo dia, à noite, a vítima dirigiu-se ao encontro do arguido e puxou de uma navalha, atingindo o amigo com três golpes.

Apesar dos ferimentos, o arguido correu até casa regressando, pouco depois, armado de pistola em punho, e disparou três tiros, dois dos quais atingiram o agressor, que acabou por falecer no local.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG