Heroína apreendida num só dia bate total de 2014

Marroquino tinha heroína que dava para abastecer Lisboa. Droga valeria nas ruas 1,2 milhões

A carga, 42 quilos de heroína, veio da Holanda, transportada em sacos na bagageira de um Volkswagen Passat conduzido por um alegado traficante marroquino de 47 anos, residente em Amesterdão. Na terça-feira, a PSP apreendeu a carga numa ação espetacular que envolveu o Grupo de Operações Especiais (GOE) a intercetar o condutor marroquino em pleno andamento no bairro de Telheiras, em Lisboa. E atingiu um recorde: foi a maior apreensão de sempre de heroína feita por esta polícia.

De uma só vez, a carga superou o total deste estupefaciente confiscado em conjunto pelos órgãos de polícia criminal no ano passado - 35 quilos. O valor da droga depois de vendida nas ruas estima-se em 1,2 milhões de euros (um quilo de heroína vale 30 mil euros).

Movimentos seguidos

O resultado da operação policial só foi possível porque há seis meses que uma investigação da PSP seguia os movimentos do suspeito residente na Holanda e as suas vindas a Lisboa, como explicou ao DN o comandante da Divisão de Investigação Criminal (DIC) da PSP, Resende da Silva.

O suspeito estrangeiro e o seu recetor na Amadora, um homem de 33 anos, também detido, eram os principais responsáveis pelo abastecimento de heroína na Grande Lisboa, segundo a polícia. Quando os agentes recolheram a informação de que iria ocorrer uma transação de grande quantidade daquela droga entre os dois suspeitos, colocou no terreno o dispositivo policial necessário para os apanhar.

O suspeito marroquino foi intercetado no bairro de Telheiras, em Lisboa, ainda com o carro em andamento, na terça-feira, entre as 17.00 e as 18.00, por elementos do GOE da PSP, já depois de uma brigada ter capturado na Amadora o seu recetor e cúmplice, quando este tinha acabado de comprar a droga e de guardar a carga no seu automóvel.

O estrangeiro não estava armado, mas a PSP "recorreu ao apoio do GOE porque quis evitar a sua fuga e perseguições perigosas no interior de um bairro residencial", explicou o intendente Resende da Silva.

O recetor da heroína, cuja casa na Amadora foi alvo de busca, iria a seguir distribuir o estupefaciente pela área metropolitana de Lisboa. A carga era suficiente para 423 mil doses individuais (basta lembrar que só a cidade de Lisboa tem 517 mil habitantes).

Os dois homens já foram presentes ao juiz e ficaram em prisão preventiva. A PSP apreendeu ainda 76 300 euros ao suspeito residente na Amadora, que já tinha antecedentes por tráfico de droga.

Depois desta operação da PSP e da detenção pela Polícia Judiciária, em agosto, de um dos maiores traficantes de heroína de Lisboa, "fica seriamente comprometido o abastecimento do mercado desta droga na capital", conclui o comandante da DIC da PSP.

Em heroína fala-se em quilos

Por que motivo 42 quilos de heroína são uma carga extraordinária quando as polícias falam em toneladas de cocaína apreendidas? Também era possível aos traficantes transportarem toneladas de heroína, mas, como explica fonte policial, a diferença está no facto de a cocaína ter um mercado muito maior a nível europeu do que a heroína.

Mesmo nos idos anos das décadas de 1980 e 1990, a quantidade máxima que se apanhou de heroína, pela Polícia Judiciária, foi de 50 quilos. Ao lado, em Espanha, já é diferente e as apreensões anuais são aos 100 e 200 quilos de heroína porque no território espanhol estão instalados turcos e albaneses que são os fortes no mercado deste estupefaciente, explica fonte ligada à investigação criminal.

A nível europeu, regista-se a preocupação com o facto de a pureza da heroína ter aumentado em 2013 e também com um possível aumento da oferta desta droga, como refere o Relatório Europeu sobre Drogas deste ano.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG