Golegã e Odemira vão manter-se na 3.ª fase do desconfinamento

Estes são os únicos dois dos 278 concelhos de Portugal Continental que continuam sujeitos a medidas mais restritivas. A maioria fica na 4.ª e última fase do atual plano.

Golegã e Odemira vão manter-se na 3.ª fase do plano de desconfinamento, de 19 de abril, enquanto Arganil e Montalegre avançam para o nível de 1 de maio, juntando-se aos restantes concelhos de Portugal Continental, informou esta quarta-feira o Governo.

Sem registo de concelhos a recuar no plano de desconfinamento, a reavaliação da situação epidemiológico e a atualização do mapa de risco da covid-19 teve em conta "os dados de hoje e as novas regras para territórios de baixa densidade", revelou fonte oficial da Presidência do Conselho de Ministros.

Na conferência de imprensa realizada após a reunião do Conselho de Ministros, que decorreu no Centro Cultural de Belém, em Lisboa, o primeiro-ministro, António Costa, disse que a atual matriz de risco se vai manter, mas vai passar a diferenciar os territórios de baixa densidade populacional, em relação aos restantes, que só recuam no desconfinamento se excederem o dobro do limiar de risco atualmente fixado, ou seja, em vez de 120 casos de covid-19 por 100 mil habitantes passam para 240 casos por 100 mil habitantes.

Assim, dos 278 concelhos de Portugal Continental, apenas dois - Golegã e Odemira - continuam sujeitos a medidas mais restritivas, enquanto a maioria (276) fica na 4.ª e última fase do atual plano de desconfinamento.

Em relação à semana passada, Arganil vai avançar diretamente da 2.ª fase, de 5 de abril, para a 4.ª fase, de 01 de maio, enquanto Montalegre sai do 3.º patamar, de 19 de abril, para se juntar à maioria dos concelhos do continente.

"Em termos globais, há basicamente uma estabilização" relativamente há semana passada, afirmou António Costa, sem detalhar qual a atualização feita ao mapa de risco da covid-19, informação que foi enviada posteriormente.

Relativamente aos concelhos em alerta por registarem mais de 120 casos de covid-19 por 100 mil habitantes, Lisboa, Salvaterra de Magos e Vale de Cambra mantêm-se nessa situação, a que se juntam Braga, Cantanhede e Castelo de Paiva.

No total, a lista dos territórios em alerta inclui seis municípios, menos um do que os sete registados na semana passada, após se verificar que Chamusca, Tavira, Vila do Bispo e Vila Nova de Paiva saíram desta situação epidemiológica.

Além da diferenciação para os territórios de baixa densidade, o Governo anunciou hoje duas novas fases de desconfinamento, uma a partir de 14 de junho e outra a partir de 28 de junho, com o alívio das medidas de restrição, inclusive no teletrabalho, no funcionamento do comércio e da restauração.

Para os dois concelhos que se mantêm na 3.ª fase de desconfinamento - Golegã e Odemira - as regras previstas permitem a abertura de todas as lojas e centros comerciais; restaurantes, cafés e pastelarias (com o máximo de quatro pessoas por mesa no interior ou seis por mesa em esplanadas), até às 22:30 nos dias de semana ou 13:00 nos fins de semana e feriados; cinemas, teatros, auditórios, salas de espetáculos; e lojas de cidadão com atendimento presencial por marcação.

Nos municípios que estão na 4.ª e última fase do atual plano desconfinamento, situação que se aplica a 276 concelhos, é permitido que restaurantes, cafés e pastelarias possam funcionar, quer durante a semana, quer aos fins de semana, até às 22:30, com a limitação condicionada a um máximo de seis pessoas por mesa no interior e 10 pessoas por mesa nas esplanadas; comércio em geral pode estar aberto até às 21:00 nos dias de semana e até às 19:00 nos fins de semana e feriados; e espetáculos culturais têm como hora limite as 22:30.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG