Feliz por estar em Fátima

Papa voltou a falar aos jornalistas na viagem de regresso a Fátima. Avião já aterrou em Roma.

Voo com 50 minutos de atraso em relação ao previsto, que os pilotos acabam por recuperar em parte à chegada. Quarenta minutos depois, o Papa surge na zona dos jornalistas para iniciar uma conferência de imprensa. Diz estar feliz.

Uma lucidez e rapidez de raciocínio que contrastam com algum cansaço físico revelado durante as cerimónias, mas que seguiu até ao fim e despedindo - se da Cova de Iria com o lenço branco. Nunca se ajoelhou, culpa da dor ciática e arteroses.

O lenço branco é um gesto inédito nas celebrações católicas e é uma particularidade portuguesa, também a quantidade de velas que encheram o recinto durante a noite.

Conferência de imprensa organizada e com indicações à priori da sequência de perguntas segunda a língua. As duas primeiras para o país visitante, português, seguindo - se o italiano, o inglês, o alemão, o espanhol, cada um com uma questão. Termina com uma terceira pergunta para Portugal, onde só a vaticanista Aura Miguel, da Rádio Renascença, tem lugar garantido. As outras duas perguntas são da RTP e Lusa, acordadas pelos seis órgãos de comunicação social portugueses.

O Papa Francisco responde a todos, resguardando-se perante determinadas questões que entende deverem ser respondidas pelos políticos. Bem-humorado, não resiste a comentar que as mulheres tinham ganho a dianteira ao verificar que tiveram as primeiras intervenções.

Quarenta minutos de conferência de imprensa, a que se seguiram ofertas do Vaticano: um terço, uma medalha e três fotos do Papa autografadas.

Nem assim os jornalistas descansaram depois do reboliço que houve para captar sons e imagens. Há que escrever os textos para os publicar depois da hora de embargo as 21.00 (20.00 em Portugal).

Dificuldades acrescidas para a tripulação da TAP para servir as refeições, uma equipa dirigida por dois comandantes, Ricardo Hiban e Nuno Duque, co-piloto Teixeira Silva e chefe de cabine Sofia Barco, com Vítor, Catarina, Francisco, Beatriz, Cláudia e Carolina. A quem o Sumo Pontífice agradeceu uma a um o trabalho com a entrega de lembranças.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG