Farmacêuticos tentam segurar liderança de Cleto Duarte

João Cordeiro ataca presidente e leva-o a convocar eleições antecipadas. Farmacêuticos querem evitar saída de líder eleito com mais de 90% dos votos.

Farmacêuticos estão preocupados com a tensão criada pelo fundador da Associação Nacional das Farmácias (ANF), João Cordeiro, que já levou à demissão do atual presidente. E está a gerar-se um movimento de apoio para tentar segurar a direção eleita há dois anos.

Paulo Cleto Duarte, presidente da ANF, convocou eleições antecipadas no início deste mês, e insiste que não será candidato, revelam ao DN fontes próximas.

Em causa está um vídeo gravado e publicado no YouTube por João Cordeiro, que durante 32 anos liderou a associação, em que levanta dúvidas sobre as contas apresentadas pela ANF - e aprovadas, como o próprio admite naquela gravação, com 99,5% dos votos, tal como o orçamento para 2021 e o plano económico e financeiro 2021-2032. Apesar de afirmar que o presidente da ANF apresentou documentação sobre as questões levantadas, Cordeiro declara que irá dedicar-se à missão de recolher assinaturas para afastar Cleto Duarte e assegurar nomes para constituir uma lista candidata às eleições antecipadas - vincando porém não ser, ele próprio, candidato a qualquer cargo.

Encabeçando a única lista concorrente às eleições de 2019, Paulo Cleto Duarte foi reeleito presidente da Associação Nacional das Farmácias em março desse ano, com 90,9% dos votos das 2537 farmácias que votaram, assumindo como prioridade para o novo mandato a vontade de "fazer das farmácias a rede de cuidados de saúde mais valorizada pelos portugueses". Desafio que ganhou força em contexto de covid.

Delfim de João Cordeiro, em cuja direção foi secretário-geral e vice-presidente - e tornado agora alvo -, Paulo Cleto Duarte, que lidera os farmacêuticos desde 2013, decidiu demitir-se e não se recandidatar à liderança da associação.

Perante a iminente saída do líder da Associação Nacional das Farmácias, os farmacêuticos estão a tentar criar uma vaga de apoio para evitar perder a direção que escolheram até 2022.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG