Família destruída em acidente com cavalos. Dono pode ser acusado de homicídio

Cavalos circulavam na estrada onde seguia Bruno Raimundo (27 anos), que morreu devido ao violento embate. A mãe está em estado crítico

Bruno Raimundo fez 27 anos dia 19 mas a festa de aniversário estava marcada para este sábado. Porém, familiares e amigos acordaram esta sexta-feira com uma trágica notícia, que dava conta da morte de Bruno, forcado dos Académicos de Elvas, na sequência de um choque frontal contra dois cavalos, quando se dirigia para o trabalho, com outras quatro pessoas no carro. A mãe, Aurelina Moriano Raimundo (que ainda luta pela vida, embora em estado muito crítico) e o pai, Jerónimo Raimundo, com ferimentos menos graves. Os animais, que ficaram mortos na estrada, não tinham chip, mas a GNR já identificou o proprietário. Reside em Campo Maior e pode vir a ser acusado de homicídio por negligência.

A GNR não tem dúvidas de que foi a presença dos cavalos na estrada que provocou o acidente ocorrido pelas 04:45, mas a investigação ainda está no terreno para tentar apurar porque é que os equídeos se encontravam na faixa de rodagem e como é que foram ali parar. Fonte policial contactada pelo DN admite que no caso de se provar que a culpa é do proprietário dos animais, poderá ser indiciado pelo crime de homicídio negligente.

Bruno Raimundo, o condutor, e os restantes passageiros, todos de Elvas, seguiam para Campo Maior -dirigiam-se para uma fábrica de borracha onde entrariam ao serviço no turno das 05:00.

A noite ainda estava cerrada e com algum nevoeiro, acabando Bruno por ser surpreendido pelos animais na Estrada Nacional 373, já próximo de Campo Maior, não conseguindo evitar o violento choque frontal. Segundo o comandante dos Bombeiros de Campo Maior, Miguel Carvalho, a viatura ligeira conduzida por Bruno ainda terá "embatido numa placa de sinalização na berma da estrada", mas não chegou a capotar. O comandante diz que os bombeiros encontraram um cenário de "grande violência", tendo havido necessidade de desencarcerar as vítimas

Bruno ainda seria transportado ao hospital de Elvas onde morreu minutos depois, enquanto a mãe, de 47 anos, foi transferida para o hospital de São José, em Lisboa, num helicóptero do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), tendo sido internada no serviço de neurocríticos. O pai da vítima, de 47 anos, sofreu ferimentos ligeiros e foi transportado para o hospital de Elvas, assim como os outros dois sinistrados. Um de 32 anos, considerado ferido grave também seria transferido para o hospital de São José, e outro de 25, ferido ligeiro ainda em observação.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG