Doentes em consultas externas podem ser vacinados nos hospitais

Processo está ainda a ser organizado, afirmou o vice-almirante Gouveia e Melo.

O coordenador da `task force´ da vacinação contra a covid-19 anunciou esta terça-feira que os doentes acompanhados em consultas externas vão poder ser vacinados nos próprios hospitais, um processo que deve iniciar-se na próxima semana.

"Estamos a organizar um processo em que todos os doentes que estão em consulta externa, porque são doentes mais graves, também sejam vacinados no contexto hospitalar imediatamente dentro das próprias consultas dos hospitais", afirmou o vice-almirante Henrique Gouveia e Melo em entrevista à RTP3.

Segundo o responsável do plano de vacinação que se iniciou no final de 2020, este procedimento "facilita muito o processo" de vacinar as pessoas com doenças e constitui também uma "vacinação mais segura".

"Estamos a preparar o processo. Não costumámos demorar muito tempo a preparar estes processos", disse Gouveia e Melo, que admitiu que esta vacinação em contexto hospitalar possa arrancar já na próxima semana.

Se não existirem contratempos na entrega das vacinas que estão previstas chegar a Portugal, o coordenador da `task force´ reiterou também a meta de ter 70% da população vacinada com a primeira dose contra o vírus SARS-CoV-2 entre o final de julho e agosto.

De acordo com dados divulgados pela Direção-Geral da Saúde, um em cada quatro portugueses já recebeu a primeira dose da vacina contra a covid-19, o que representa mais de 2,5 milhões de pessoas.

Segundo o relatório semanal da vacinação, 2.568.344 pessoas já foram vacinadas contra o vírus SARS-CoV-2, das quais 341.313 na última semana, enquanto 915.246 já têm a vacinação completa com as duas doses, o que equivale a 9% da população.

Em Portugal, morreram 16.981 pessoas dos 837.715 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo ​​​​​​​coronavírus detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG