Diretora da farmácia do Tâmega e Sousa substituída após inutilização de vacinas

A substituição surge na sequência da inutilização de 600 doses de vacinas de covid-19 por problemas de refrigeração. Uma situação que ocorreu na semana passada e que está a ser alvo de um inquérito.

A diretora dos serviços farmacêuticos do Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa (CHTS) "foi substituída", na sequência da inutilização de 600 doses de vacinas de covid-19 por problemas de refrigeração, disse esta terça-feira fonte hospitalar.

A fonte da administração do CHTS indicou à Lusa que ainda decorre o inquérito à situação ocorrida na semana passada, recusando-se, para já, a adiantar mais pormenores.

Na quarta-feira, num esclarecimento à Lusa, fonte da administração indicou ser de "lamentar profundamente [a inutilização das vacinas], uma vez que, quer no CHTS quer em toda a rede do SNS, são fornecidas instruções de trabalho específicas para o seu manuseamento".

Segundo a fonte, o problema ocorreu com 113 frascos (cada um daria para cinco ou seis vacinas) que tinham chegado na segunda-feira ao hospital e seriam para ser administradas na terça-feira.

Refere-se, ainda, que o conselho de administração "ordenou de imediato a abertura de um processo de inquérito, para apuramento detalhado do sucedido e das respetivas responsabilidades, estando em avaliação a apresentação de participação por eventual processo crime".

O CHTS sediado em Penafiel, no distrito do Porto, informou ainda "que, assim que teve conhecimento do problema", realizou diversas diligências de forma a que fossem repostas rapidamente as vacinas inutilizadas.

O hospital indicou que, "atendendo à sensibilidade que esta questão comporta e à sua relevância social, foram ainda determinadas medidas reforçadas de vigilância permanente no local, sempre que existam vacinas para ser administradas".

Entretanto, em resposta ao DN, o CHTS adiantou que "a vacinação dos profissionais com a segunda dose da vacina foi retomada na quinta-feira, 28 de janeiro, e terminou no sábado".

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2 237 990 mortos resultantes de mais de 103,3 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG