Criminalidade sobe pela primeira vez em sete anos

A última vez que a criminalidade geral participada tinha subido foi em 2008

A criminalidade geral participada às forças de segurança subiu em 2015 pela primeira vez em sete anos, com um total de 356.032 queixas, mais 1,3 por cento do que em 2014, segundo o Relatório Anual de Segurança Interna.

A última vez que a criminalidade geral participada tinha subido foi em 2008, quando aumentou 7,5 por cento face ao ano anterior. Desde então, a tendência de quebra manteve-se até 2014.

Em 2015, a criminalidade geral participada aumentou 1,3 por cento, tendo-se registado mais 4.721 participações do em que em 2014, num total de 356.032 queixas, indica o Relatório Anual de Segurança Interna (RASI) de 2015, hoje entregue pelo Governo à Assembleia da República.

No âmbito da criminalidade geral, os crimes mais registados pelas forças de segurança em 2015 foram de incêndio/fogo posto em floresta, mata, arvoredo ou seara, que sofreram um aumento de 106,2%, burla informática e nas comunicações (mais 73,7%) e contrafação, falsificação de moeda e passagem de moeda falsa (mais 34%).

Exclusivos

Premium

Legionela

Maioria das vítimas quer "alguma justiça" e indemnização do Estado

Cinco anos depois do surto de legionela que matou 12 pessoas e infetou mais de 400, em Vila Franca de Xira, a maioria das vítimas reclama por indemnização. "Queremos que se faça alguma justiça, porque nunca será completa", defende a associação das vítimas, no dia em que começa a fase de instrução do processo, no tribunal de Loures, que contempla apenas 73 casos.