Serra da Estrela: Combate reforçado com mais de 1.600 operacionais

Os mais de 1.600 operacionais que combatem as chamas têm o apoio de mais de 500 meios terrestres.

O incêndio que deflagrou no sábado no concelho da Covilhã e alastrou para Manteigas, Gouveia, Guarda e Celorico da Beira teve um aumento de meios nas últimas horas e está a ser combatido por mais de 1.600 operacionais.

De acordo com a informação disponível às 08:29 no site da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), no terreno, na Serra da Estrela, combatiam as chamas 1.637 operacionais, apoiados por 503 meios terrestres.

Com início na madrugada de sábado nos concelhos da Covilhã (distrito de Castelo Branco) e de Manteigas, o fogo atingiu na tarde de quarta-feira também Gouveia e Guarda e passou esta quinta-feira, a meio da manhã, para o concelho de Celorico da Beira.

O capotamento de uma viatura dos bombeiros de Loures na zona de Celorico da Beira (Guarda), durante o combate ao incêndio, provocou esta quinta-feira três feridos graves e dois ligeiros, segundo a Proteção Civil.

Segundo comandante nacional da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), Miguel Cruz, o acidente ocorreu no concelho de Celorico da Beira, no distrito da Guarda, que era ao final da tarde "a zona mais complicada" do teatro de operações.

Na conferência de imprensa, o segundo comandante nacional da ANEPC relatou que a tarde de quinta-feira "foi de muito trabalho" devido, sobretudo, à orografia e ao vento que "provocaram preocupações".

Cerca de 70 concelhos dos interior Norte e Centro e Alto Alentejo estão esta sexta-feira em risco máximo de incêndio, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

De acordo com a informação disponível no site do IPMA, os concelhos em risco máximo pertencem aos distritos de Vila Real, Bragança, Castelo Branco, Guarda, Portalegre, Coimbra e Viseu.

Notícia atualizada às 08:30

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG