Madrid. Prisão preventiva para casal português suspeito de onda de assaltos

ATUALIZADA. Os "Bonnie & Clyde" portugueses foram presentes a tribunal na sequência do mandado de busca e detenção emitido por Portugal.

O casal português detido em Zamora por suspeita de uma onda de assaltos à mão armada em postos de abastecimento em Espanha e Portugal, além de outros crimes, foram esta terça-feira presentes a tribunal em Madrid e ficaram em prisão preventiva.

Os detidos, um homem de 42 anos e uma mulher de 40 anos, conhecidos como os "Bonnie & Clyde" portugueses, foram presentes ao tribunal - Audiência Nacional, com sede em Madrid - na sequência do mandado de busca e detenção emitido por Portugal.

Os suspeitos foram considerados pelas autoridades espanholas como "muito perigosos". Ouvidos pelo juiz de turno do Tribunal Central de Instrução, Joaquín Gadea, este decretou a prisão preventiva para ambos os detidos: Nélida Alves e Sidney Pereira.

Na Audiência Nacional está a ser tratado o despacho internacional emitido pela Interpol pelos assaltos cometidos em Portugal, um despacho que, em princípio, não inclui o triplo homicídio em Bragança, um crime de que também são suspeitos, caso que está ainda em investigação.

Os detidos assaltaram alegadamente nas últimas semanas postos de abastecimento e estabelecimentos comerciais espanhóis, em Sevilha, Badajoz e Toledo, na maioria dos casos com o mesmo "modus operandi", intimidando os funcionários com uma arma e com uma faca.

O casal também é suspeito de ter roubado um veículo com ameaça de arma, na passada quarta-feira, no distrito madrileno de Moncloa.

Em Espanha, a Polícia Nacional atribui-lhes um assalto à mão armada num posto de gasolina em Badajoz e o roubo também com violência e intimidação do veículo em Madrid, refere a agência de notícias Efe.

A Guarda Civil instruiu ainda processos por outros assaltos nas províncias de Sevilha, Badajoz e Toledo cometidos desde o dia 28 de julho, quando o casal de fugitivos atravessou a fronteira de Ayamonte depois de ter assaltado outro posto de combustível em Faro (Portugal) e ter cometido anteriormente outros três roubos no Algarve.

Foram detidos em Zamora depois da denúncia de um cidadão, ao reconhecer os suspeitos num centro comercial, ter alertado no final de sábado a Guardia Civil.

Foram presos quando jantavam no interior da viatura roubada, tendo sido cercados nessa altura por agentes da Policia Nacional, que os deteve sem que estes oferecessem resistência, segundo explicou hoje em conferência de imprensa o chefe da policia de Zamora, Guillermo Vara.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG