Cardeal de Lisboa admite padre com filho mas sem "vida dupla"

Em causa ainda a situação do padre madeirense que assumiu a paternidade de uma criança

O Cardeal-Patriarca de Lisboa defendeu esta quinta-feira que a igreja não deve abandonar o celibato dos sacerdotes católicos nem abrandar a sua apologia, considerando que esta é uma questão que diz respeito à doutrina, ao culto e à cultura.

"Por mim não abandonaria o celibato em relação ao sacerdócio como não abrandaria a sua apologia", disse Manuel Clemente em conferência de imprensa para a apresentação das conclusões da 193.ª Assembleia Plenária da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) à qual preside.

A questão do celibato surge na sequência do caso do pároco do Monte, na Diocese do Funchal, que assumiu a paternidade de uma criança.

Sobre este caso a Diocese do Funchal afirmou a 6 de novembro estar a acompanhar a situação indicando que a igreja "não pode admitir uma vida dupla".

Numa nota a Diocese do Funchal sublinhou que "foi com tristeza que recebeu as recentes notícias sobre a vida de um sacerdote" e considera estar em causa "um contratestemunho daquela que deve ser a vida de qualquer sacerdote".

Hoje o cardeal-patriarca de Lisboa acrescentou que o seu entendimento é igual ao da Diocese do Funchal.

"É o que já respondeu o bispo do Funchal e eu corroboro", disse adiantando que é necessário verificar o sacerdócio em causa, e de saber se há disponibilidade e condição para continuar o celibato.

"Os casais católicos também se comprometem à fidelidade e por vezes nascem crianças fora do matrimónio. Com certeza que têm de assumir a responsabilidade mas isso só por si não quer dizer que termine o matrimónio", disse adiantando que "a continuação da vida sacerdotal tal como a conjugal pode acontecer se houver vontade de arrepiar caminho".

O cardeal-patriarca especificou que não significa abdicar da paternidade, mas implica a não conjugalidade.

Questionado sobre se o caso foi abordado na Assembleia Plenária da CEP, Manuel Clemente disse que não por tratar-se de matéria de uma diocese e da responsabilidade do respetivo bispo.

Na Assembleia Plenária, explicou, foi abordada uma temática mais geral sobre a formação sacerdotal com insistência na vertente das qualidades humanas dos futuros sacerdotes.

Segundo o presidente da CEP, na igreja católica latina os padres são escolhidos entre as pessoas que manifestam vocação e carisma de celibatário e esta realidade que existe na igreja "tem sido assumido como ideal e tanto quanto possível como prática", havendo assim este costume de escolher quem, já manifesta esse carisma celibatário.

A questão da preparação para o matrimónio, à luz da exortação apostólica, foi também assunto abordado na Assembleia Plenária da Conferência Episcopal, estando prevista uma auscultação junto das instâncias eclesiais de pastoral familiar, tendo em vista a elaboração de um documento com fundamentação teológica e propostas de preparação para o casamento.

Exclusivos

Premium

Legionela

Maioria das vítimas quer "alguma justiça" e indemnização do Estado

Cinco anos depois do surto de legionela que matou 12 pessoas e infetou mais de 400, em Vila Franca de Xira, a maioria das vítimas reclama por indemnização. "Queremos que se faça alguma justiça, porque nunca será completa", defende a associação das vítimas, no dia em que começa a fase de instrução do processo, no tribunal de Loures, que contempla apenas 73 casos.