Câmara diz que retirada de parquímetros é vandalismo

Cerca de duas centenas de moradores de Carnide, em Lisboa, juntaram-se esta noite para arrancar os sete parquímetros da EMEL colocados na zona histórica do bairro

A Câmara Municipal de Lisboa considera que a remoção dos parquímetros da EMEL, durante a noite passada, pelos moradores de Carnide constitui um "ato grave e inédito, de deliberada danificação de património municipal". Num comunicado, a autarquia anuncia que deu indicações para que toda a informação recolhida seja enviada às autoridades policiais e ao Ministério Público.

"A Câmara Municipal foi surpreendida, esta madrugada, com as imagens da vandalização de parquímetros que a EMEL tinha acabado de colocar no centro histórico de Carnide. É um ato grave e inédito, de deliberada danificação de património municipal, e um ato inaceitável num estado de direito", diz o comunicado da autarquia, segundo o qual a EMEL já tem instruções para "iniciar o processo de reinstalação imediata dos parquímetros nos locais previstos".

A autarquia garante que "a entrada da EMEL no centro histórico de Carnide já se encontrava prevista e aprovada pelos órgãos municipais" e acrescenta que a implementação neste momento aconteceu para "dar resposta positiva aos alertas de moradores para o agravamento da situação do estacionamento nesta zona". Diz ainda que a medida teve o apoio do presidente da Junta de Freguesia de Carnide.

De acordo com a mesma nota, devido à implementação de parquímetros em Carnide outras zonas da cidade ficaram a aguardar a expansão da EMEL.

A autarquia salienta que os residentes têm direito a dísticos e que o zoneamento da EMEL "visa melhorar a tranquilidade, conforto e facilidade de estacionamento dos moradores". "Além disso há um aumento de 43 lugares exclusivos para residentes em 4 ruas, o estacionamento gratuito na zona 45 (Quinta da Luz) e avenças mensais, em condições favoráveis, no Parque da Rua D. Ana de Castro Osório", remata a nota de imprensa.

Cerca de duas centenas de moradores de Carnide, em Benfica, juntaram-se esta noite para arrancar os sete parquímetros da EMEL colocados na zona histórica do bairro, alegando que estes lhes foram impostos sem uma consulta prévia.

O presidente da Junta de Freguesia de Carnide, Fábio Sousa, anunciou que os sete parquímetros serão levados para os Paços do Concelho "sob a guarda da população e da junta" e que pretendiam entregá-los pessoalmente ao presidente da autarquia, Fernando Medina, numa ação que decorrerá pelas 18:00.

Exclusivos