Barreiro quer classificar património industrial

A empresa Baía do Tejo e o município do Barreiro pretendem classificar o património imóvel da CUF pela sua importância na atividade industrial da zona

A empresa Baía do Tejo quer classificar o património imóvel ligado à atividade industrial no concelho do Barreiro. Em causa estão diversos edifícios associados à antiga Companhia União Fabril (CUF) com traços arquitetónicos raros, e que espelham uma época voltada para a produção química, com grande importância no desenvolvimento industrial da cidade.

Desses edifícios fazem parte o Museu Industrial e Centro de Documentação, o Bairro Operário de Santa Bárbara, a Torre do Relógio, a Casa Museu Alfredo da Silva e o antigo posto da GNR, o Mausoléu de Alfredo da Silva, o edifício da primeira geração Stinville, o edifício da antiga central a vapor, o armazém de descarga e moagem de pirites, o silo de sulfato de amónio, de 1952, e o silo de enxofre, de 1960. A Baía do Tejo promove estes edifícios enquanto património industrial único, com interesse patrimonial e museológico.

A empresa, em parceria com a Câmara Municipal do Barreiro, quer proceder à requalificarão e valorização da zona urbana da Rua da União, da nova sala da maquete na Casa-Museu, e ainda atribuir novas funções ao antigo posto da GNR.

A CUF - que mais tarde deu lugar à Quimigal - iniciou a sua atividade no Barreiro no início do século XX, e desenvolveu o concelho no setor químico com a construção de edifícios, e reconstrução de outros, de forma a acompanhar a produção e os avanços tecnológicos do setor. Estes são lugares que lembram a importância histórica e as vivências sociais associadas à CUF, uma das indústrias químicas mais relevantes de Portugal.

A Abertura do Processo de Classificação do Património Industrial da Baía do Tejo aconteceu esta quinta-feira e contou com a presença dos presidentes da Baía do Tejo e da Câmara do Barreiro, dos vereadores da autarquia e dos elementos do Conselho de Administração da Baía do Tejo.

A empresa Baía do Tejo gere os parques industriais do Barreiro, Seixal e Estarreja, e promove a valorização destes territórios.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG