Barco encalhado em Melides deverá ser desmantelado

Embarcação não deverá ser rebocada. Não houve feridos

O barco de pesca que esta madrugada encalhou ao largo da praia de Melides (Grândola), com tripulantes a bordo que escaparam ilesos, deverá ser desmantelado. A embarcação "Jonas David", registada em Sines, tem vindo ao longo do dia a ficar aterrada no areal, pelo que, segundo a Autoridade Marítima, há o risco do barco se poder "desfazer" ou vir a ficar com "danos irreparáveis" ao ser rebocado. É o que diz ao DN o capitão do Porto de Sines, José Velho Gouveia, alertando ainda para o risco do barco poder afundar a poucos metros da praia caso seja puxado pelos rebocadores. "Isso seria muito mais grave", avisa.

O armador ainda alimentou a esperança de poder rebocar a embarcação durante a preia-mar, prevista para o fim da tarde, mas à medida que as horas passam o "Jonas David" vai ficando mais enterrado no areal. Hoje é um dos dias em que o mar está a trazer areia para a praia, segundo explica o representante da Quercus no Litoral Alentejano, Dário Cardador.

"Se o barco encalhasse de proa, talvez ainda pudesse ser possível. Mas o mar está muito assoreado e uma tentativa de rebocar o barco poderia provocar o seu desmembramento", sublinha o dirigente, numa altura em que se continua a aliviar a carga que existe na embarcação para tentar minimizar os prejuízos e ainda se estuda uma possível solução.

"O desmembramento tem um risco reduzido, até porque o barco está consolidado, de pé na areia, mas é preciso retirar os materiais poluentes. Haverá umas centenas de litros de combustível", explica Dário Cardador, quando ainda se desconhece o que terá levado a embarcação a ficar desgovernada até encalhar.

O capitão do porto de Sines revela já ter sido aberto um inquérito por parte da Autoridade Marítima local para apurar a origem do problema. Até ao momento foi encontrado um cabo enrolado no veio junto à hélice, mas as autoridades não sabem se isso terá acontecido antes ou depois da avaria.

O alerta de que a embarcação estava em dificuldades foi dado cerca das 01.50 horas, avançando o capitão do barco de pesca que nesse momento os tripulantes estavam a saltar para a jangada salva-vidas. Posteriormente, realizou um segundo contacto a avisar que os homens já se encontravam a salvo em terra. Os 11 tripulantes foram levados para o hospital como medida de precaução, uma vez que se encontravam com sinais de hipotermia.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG