Autoridade para as Condições de Trabalho investiga explosão

Cinco pessoas morreram na terça-feira na sequência de várias explosões numa fábrica de pirotecnia e três outras encontram-se desaparecidas.

A Autoridade para as Condições de Trabalho (ACT) informou hoje que já está a decorrer um inquérito à explosão na fábrica de pirotecnia em Avões, concelho de Lamego, distrito de Viseu, que causou cinco mortos e três desaparecidos.

Contactada pela agência Lusa, a ACT indicou apenas que já está a decorrer um inquérito, escusando-se a avançar com mais pormenores.

Cinco pessoas morreram na terça-feira na sequência de várias explosões numa fábrica de pirotecnia e três outras encontram-se desaparecidas.

A explosão ocorreu cerca das 17:50 e deixou destruída uma fábrica de pirotecnia em Avões, a cerca de três quilómetros de Lamego.

O secretário de Estado da Administração Interna, Jorge Gomes, informou na terça-feira que "por razões de segurança dos operacionais, não se podia proceder nem à identificação dos corpos, nem a qualquer movimento no local do acidente".

O governante remeteu para as 10:30 e para as 12:00 de hoje mais informação sobre o sucedido.

Entretanto, os bombeiros retomaram depois das 07:30 de hoje os trabalhos de pesquisa, procura e levantamento para perceber as causas do acidente.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, solidarizou-se com as famílias das vítimas e estará no local, pelas 13:00.

Entretanto, a Polícia Judiciária foi chamada a investigar as várias explosões.

Exclusivos