Mais 236 crianças até aos nove anos infetadas em dia com 2590 casos

Morreram mais 17 pessoas de covid-19 nas últimas 24 horas. Portugal tem hoje menos 29 internados e menos 4 em Unidades de Cuidados Intensivos do que na véspera.

Isaura Almeida
© Igor Martins / Global Imagens

Portugal registou mais 2590 casos e 17 mortes por covid-19 nas últimas 24 horas, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS) deste sábado (31 de julho). É o pior dia da semana em vítimas mortais, sendo que dez das 17 vítimas mortais foram registadas na região de Lisboa e Vale do Tejo. Morreram ainda quatro pessoas na região Norte, duas no Algarve e uma na região Centro. A vítima mais nova tinha entre 40 e 49 anos, sendo que dez dos óbitos foram na faixa etária acima dos 80 anos.

As hospitalizações desceram ligeiramente em relação ao reportado na sexta-feira. Há hoje menos 29 internados e menos 4 em Unidades de Cuidados Intensivos do que na véspera. No total ainda estão no hospital 895 doentes com covid-19, 195 das quais em UCI.

Entre os novos casos, quase metade (1270) foi registada em pessoas abaixo dos 30 anos: 566 na faixa etária dos 20 aos 29 anos, 468 nos 10-19 anos e ainda 236 crianças até aos nove anos. Em termos de distribuição geográfica, a maioria (959 casos) são na região capital e 923 a Norte. O Algarve reportou mais 313 infetados, seguindo-se o Centro com mais 255, o Alentejo com mais 61.

No País há agora 49 256 casos ativos de infeção por SARS-CoV-2, menos 1555 do que na véspera. E mais 4128 pessoas foram dadas como recuperadas da infeção. Em vigilância continuam 77 455 pessoas, menos 1282 do que na sexta-feira.

Números da realidade da pandemia em Portugal a um dia da abertura completa do País. O Governo definiu as três fases para a reabertura completa do País. Assim, a partir de dia amanhã (1 de agosto), o teletrabalho deixa de ser obrigatório e deixa de haver dever de recolhimento. Em setembro, o uso de máscara na rua deixa de ser obrigatório e em outubro abrem os bares e as discotecas.

Vacinados podem ter a mesma quantidade de vírus que os não vacinados

As pessoas vacinadas podem ser portadoras da mesma quantidade de vírus que as não vacinadas, segundo as conclusões de um estudo sobre um surto de casos de infeção com o novo coronavírus no Estado do Massachusetts, nos EUA.

Esta investigação foi decisiva na decisão dos Centros de Controlo e Prevenção de Doença (CDC, na sigla em Inglês) de recomendar às pessoas vacinadas que voltem a usar máscara em espaços fechados, nas zonas dos EUA onde a variante delta está a alimentar uma subida das infeções.

Madeira avançou hoje com vacinação de jovens

A Madeira já tem mais de metade da população adulta residente no arquipélago inoculada com a segunda dose da vacina contra a covid-19 e avançou hoje com a vacinação de jovens entre os 12 e os 17 anos, "usando as vacinas que são recomendadas pela Agência Europeia do Medicamento, que são a Johnson e a Pfizer", segundo o secretário regional da Saúde, Pedro Ramos.

Fonte do Governo Regional esclareceu que a região segue as diretivas da Agência Europeia do Medicamento e tem autonomia para antecipar a vacinação dos jovens com mais de 12 anos, mesmo sem o parecer da Direção-Geral da Saúde, que na sexta-feira recomendou a vacinação apenas em casos específicos.

"A DGS recomenda a vacinação prioritária dos adolescentes entre os 12 e os 15 anos de idade com comorbilidades associadas a doença grave", anunciou a diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, no seguimento de um parecer da Comissão Técnica de Vacinação Covid-19.