Lisboa não avança no desconfinamento. O que não se pode fazer na cidade (e em mais 3 concelhos)

Lisboa não teve condições para avançar para mais uma etapa do desconfinamento. Os mais de 120 casos de infeção por covid-19 por 100 mil habitantes tramou a capital. O que se pode e não pode fazer na cidade?

Paula Sá
Praça do Comércio, Lisboa© Orlando Almeida / Global Imagens

O número de casos de covid-19 na cidade está a progredir a um ritmo mais lento, mas não deu margem ao governo para abrir uma exceção para Lisboa na matriz de risco. A cidade fica impedida de várias medidas que estão previstas nesta 4.ª fase do desconfinamento.

São elas:

1 - O teletrabalho continua a ser obrigatório sempre que possível, em vez de passar a ser "recomendado sempre que possível" como acontece para todo o país, à exceção de mais três concelhos (Braga, Odemira e Vale de Cambra)

2 - Os restaurantes continuam a ter de encerrar às 22:30, em vez de puderem passar a deixar entrar pessoas até à meia-noite e a servirem os clientes até à 1:00.

3 -Os restaurantes, cafés e pastelarias com máximo de seis pessoas no interior (ou 10 pessoas em esplanadas)

4 - Os transportes públicos têm de continuar a ter uma lotação muito inferior à sua capacidade e não poderão podem circular com lotação de dois terços ou com a totalidade da lotação no caso de terem exclusivamente lugares sentados, como nos restantes concelhos.

5 - O comércio a retalho continua a ter de encerrar até às 21:00 nos dias de semana e até às 19:00 nos fins de semana e feriados, em vez de poder funcionar no "horário do respetivo licenciamento".

Esta quarta-feira, 9 de junho, foi anunciado pelo governo que Braga, Lisboa, Odemira e Vale de Cambra ficam na fase de 1 de maio do plano de desconfinamento, enquanto os restantes concelhos de Portugal Continental avançam para a nova fase a partir de segunda-feira.

"Encontramo-nos, neste momento, com quatro concelhos que estão num nível que não lhes permite prosseguir o desconfinamento. Esses concelhos são Braga, Lisboa, Odemira e Vale de Cambra. Estes concelhos, todos eles, vão permanecer com um conjunto de regras semelhantes àquelas que vigoram neste momento para todo o país, as regras que vigoram mais ou menos desde o dia 1 de maio", disse a ministra de Estado e da Presidência, Mariana Vieira da Silva.