Costa da Caparica tem a primeira praia 5G do país

O areal da Traquino-Paraíso serve de ensaio a um sistema de vigilância da água e dos banhistas em tempo real que promete aumentar a segurança balnear. Projeto piloto deverá durar todo o verão.

Francisco de Almeida Fernandes
Durante todo o verão a praia do Tarquínio-Paraíso recebe o projeto-piloto de vigilância balnear com recurso à rede 5G.

O leilão do espectro 5G em Portugal ainda não terminou, mas já existem projetos-piloto alimentados com a nova geração móvel espalhados um pouco por todo o país. É o caso da praia do Tarquínio-Paraíso, na Costa da Caparica, que desde o final de julho passou a estar conectada à rede de última geração para testar um novo sistema de vigilância balnear. "É muito importante" para a segurança dos banhistas, acredita a presidente da Câmara Municipal de Almada (CMA), Inês de Medeiros. A autarca participou na apresentação oficial do projeto, desenvolvido em parceria com um dos principais operadores de telecomunicações, demonstrando as potencialidades da tecnologia. Desde a lotação do local ao controlo do comportamento dos veraneantes, a solução à base de inteligência artificial e video analytics vai permitir aumentar a segurança na praia durante todo o verão.

"A segurança é uma das nossas grandes preocupações", acrescentou ainda a líder do executivo. Esta é um dos três propósitos deste projeto, garantido através da definição de uma linha virtual no oceano, que permite monitorizar as zonas de banho consideradas seguras e detetar se algum utente se afastar demasiado da costa. Para testar este cenário, a CMA e a NOS convidaram uma surfista para se lançar ao mar e ultrapassar os limites criados pelo sistema tecnológico, que rapidamente notifica, via smartwatch, os nadadores-salvadores, a polícia marítima e os serviços municipais. Estas entidades são igualmente notificadas de imediato caso alguma embarcação invada o espaço reservado aos banhistas. "Esta é apenas uma parte do que aí vem", antecipa Inês de Medeiros, referindo-se às funcionalidades avançadas que deverão chegar mais tarde.

A monitorização em tempo real do nível de ocupação da praia é outro dos objetivos desta iniciativa, em particular enquanto as restrições causadas pela pandemia não terminarem. À semelhança dos semáforos que foram implementados nas praias um pouco por todo o país no último verão, a Tarquínio-Paraíso conta agora com um painel informativo à entrada, indicando aos visitantes qual a lotação do areal em cada momento do dia. E porque é nas praias que acabam muitos dos resíduos e embalagens que não são colocados nos contentores, a componente ambiental não foi esquecida. Pedro Machado, do operador de telecomunicações, diz que o sistema tem capacidade para "detetar caixotes do lixo que estão cheios" e alertar os serviços responsáveis para a necessidade da sua recolha, facilitando a gestão destes equipamentos.

Ajudar a salvar vidas

Para o jovem nadador-salvador Ricardo, que testou, durante a apresentação do projeto, as funcionalidades de segurança agora disponíveis, a ferramenta pode ajudar muito "porque podemos assinalar as zonas de perigo [no sistema]". Desta forma, é possível definir zonas interditas em função do estado do mar, por exemplo. "Ajuda-nos bastante", reforça. A recolha de informação permanente e em tempo real é possível graças à instalação de cinco postes com seis sensores analíticos que asseguram a cobertura de uma área de cinco quilómetros. Depois, essa informação é processada e analisada na cloud, originando alertas que permitem complementar e reforçar a gestão da segurança na praia.

Além das funções agora apresentadas, os responsáveis pretendem que sejam acrescentadas novas e mais avançadas funcionalidades ao longo do tempo, como a deteção de afogamentos ou a monitorização do mar e outros indicadores meteorológicos com apoio de drones autónomos. Para a NOS, parceiro tecnológico deste piloto, esta será apenas um vislumbre daquilo que serão as praias do futuro, onde os banhistas poderão, a longo prazo e com o desenvolvimento da rede 5G, viver experiências de realidade aumentada ou virtual. "Almada testa pela primeira vez em Portugal uma solução do futuro com resultados práticos a serem sentidos já no presente, que nos permitirão vislumbrar as cidades do amanhã", aponta ainda a autarca Inês de Medeiros. Para já, contudo, será preciso aguardar pelos resultados da experiência instalada na praia do Tarquínio-Paraíso, na Costa da Caparica, mas também pelo início da comercialização da rede 5G que promete revolucionar as cidades e torná-las mais inteligentes.