Chuva inunda salas e obriga a suspender aulas em escola de Beja

O município e a direção do Agrupamento de Escolas n.º 2 de Beja decidu, "por motivos de segurança", que "o melhor e mais seguro seria suspender as atividades letivas" e fechar a escola esta quinta e sexta-feira.

DN/Lusa
© Amin Chaar / Global Imagens

O mau tempo causou esta quinta-feira inundações em várias salas e obrigou à suspensão das aulas na Escola Básica de Mário Beirão, em Beja, que está sem coberturas em algumas zonas por estar a ser removido amianto do edifício.

Devido às inundações causadas em várias salas pela "chuvada" que se abateu hoje de madrugada sobre a cidade de Beja, "não estão reunidas as condições para o funcionamento da escola", disse à Lusa o vereador da Câmara de Beja Arlindo Morais.

Também não estão reunidas as condições para a escola poder funcionar sem coberturas devido ao mau tempo e por estarem a decorrer operações de retirada de água, limpeza e reparação dos estragos causados, acrescentou.

Por isso, explicou, o município e a direção do Agrupamento de Escolas n.º 2 de Beja, do qual faz parte o estabelecimento de ensino, decidiram suspender hoje e na sexta-feira as atividades letivas de todos os níveis de ensino na Escola Mário Beirão de Beja, ou seja, desde o pré-escolar ao 3.º ciclo.

Nestas condições, "por motivos de segurança, decidiu-se que o melhor e mais seguro seria suspender as atividades letivas" e fechar a escola hoje e na sexta-feira, frisou o autarca.

No sábado, será avaliada a reabertura da escola

"As atividades letivas serão retomadas assim que estejam reunidas as condições para o normal funcionamento da escola", disse, referindo que as partes envolvidas deverão juntar-se no sábado para avaliar se estarão reunidas as condições para reabrir a escola e retomar as aulas na segunda-feira.

Segundo o autarca, após terem sido removidas as coberturas de fibrocimento (amianto), iniciou-se a instalação da nova cobertura em painel 'sandwich' e, por isso, há várias zonas do telhado da escola que "estão sem cobertura".

A empresa que está a efetuar a empreitada de remoção das coberturas de fibrocimento e colocação de novas em painel 'sandwich' "não acautelou devidamente o plano de obra" e "foi surpreendida com a chuvada que se abateu sobre a cidade de Beja", lamentou.

Por isso, a água da chuva entrou nas zonas do edifício da escola que estão sem coberturas e alastrou por várias salas de aula, sobretudo no piso superior, o que provocou inundações, explicou o autarca, estimando que os estragos sejam "só ao nível do teto falso".

"Mas só nos próximos dias poderemos avaliar melhor os estragos causados", vincou.

Segundo a Câmara de Beja, no âmbito da empreitada, já foram removidos 3230 metros quadrados de coberturas de fibrocimento e 220 metros quadrados de claraboias e, atualmente, decorre a instalação da nova cobertura em painel 'sandwich', uma operação que está numa fase inicial.