23 casos de varíola-dos-macacos em Portugal

Mais nove casos registados desde a última atualização.

DN

Foram detetados mais nove casos de infeção humana do vírus designado varíola-dos-macacos em Portugal, havendo, até ao momento, 23 casos confirmados, informou a Direção-Geral da Saúde (DGS) através de um comunicado enviado às redações.

A DGS indica que ainda se aguardam resultados relativamente a outras amostras.

"Os novos casos foram confirmados pelo Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA), esta quinta-feira, dia 19, ao final do dia. Entre as amostras disponíveis, foi identificada ontem, através de sequenciação, a clade (subgrupo do vírus) da África Ocidental, que é a menos agressiva", refere a nota.

Os casos identificados mantêm-se em acompanhamento clínico, "encontrando-se estáveis e em ambulatório", estando em curso "os inquéritos epidemiológicos dos casos suspeitos que vão sendo detetados, com o objetivo de identificar cadeias de transmissão e potenciais novos casos e respetivos contactos".

A DGS apela a que "os indivíduos que apresentem lesões ulcerativas, erupção cutânea, gânglios palpáveis, eventualmente acompanhados de febre, arrepios, dores de cabeça, dores musculares e cansaço" procurem aconselhamento clínico e evitem "contacto físico direto com outras pessoas" e partilha de "vestuário, toalhas, lençóis e objetos pessoais enquanto estiverem presentes as lesões cutâneas, em qualquer estadio, ou outros sintomas".

A entidade liderada por Graça Freitas diz que "continua a acompanhar a situação a nível nacional em articulação com as instituições europeias."

O vírus Monkeypox é do género Ortopoxvírus (o mais conhecido deste género é o da varíola) e a doença é transmissível através de contacto com animais, ou ainda contacto próximo com pessoas infetadas ou com materiais contaminados.

A doença é rara e, habitualmente, não se dissemina facilmente entre os seres humanos.

Esta é a primeira vez que é detetada em Portugal infeção pelo vírus Monkeypox.