Acusado de violação, pai do Daniel fica em prisão preventiva

Homem foi presente a juiz e ficou com a medida de coação mais gravosa

O pai do pequeno Daniel, o menino madeirense que em 2014 foi notícia por ter supostamente desaparecido quando na realidade (segundo o Ministério Público) tinha sido escondido pela mãe, vai aguardar julgamento em prisão preventiva, acusado de violação.

Carlos Abreu Sousa foi esta segunda-feira presente a juiz em primeiro interrogatório judicial no Tribunal da Comarca da Madeira e, segundo avança o JN, ouviu a medida de coação mais gravosa.

O homem foi detido na sexta-feira após ter sido denunciado por uma jovem de 17 anos, apontando-o como o alegado autor de um crime, cometido a 02 de maio deste ano na piscina da escola da localidade onde Carlos Abreu Sousa, de 28 anos, trabalhava, no âmbito de um programa promovido pelo Instituto de Emprego.

Os seus dois filhos menores, Daniel e a irmã, que estavam à guarda dos pais, ficarão "temporariamente com familiares", segundo disse à Lusa fonte da PJ do Funchal.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG