Maria Rueff: "Apeteceu-me voltar ao Canal Q para me reinventar como atriz"

Maria Rueff vai voltar a vestir a camisola das Produções Fictícias. No Canal Q, e já a partir de março, a atriz, de 40 anos, dedica-se a um amor do qual nunca se despede: "Gosto muito de fazer comédia amarga."

Depois de ter estado ao lado de Herman José e Luís Franco-Bastos a comentar futebol e a atualidade nacional no formato humorístico Vamos à Bola ou Quê?, estreado em outubro na antena do Canal Q e n'A Bola TV, a atriz e comediante Maria Rueff, 40 anos, vai voltar a fazer humor para as Produções Fictícias.

Maria Rueff, que nos últimos dois anos esteve dedicada ao programa de humor Estado de Graça, RTP, em que deu vida a vários papéis cómicos, aceitou ser protagonista de Submersos, uma nova série cuja estreia acontece no dia 4 de março. "Esta série vai retratar as relações nas novas sociedades. Isto é, as personagens e os textos vão ao encontro das novas formas de pensar o amor e a amizade. Vamos tentar, no fundo, mostrar uma fratura da sociedade", adianta a artista à Notícias TV.

À frente das câmaras do Canal Q interpreta, desta vez, o papel de uma professora catedrática de Biologia Marinha. "Eu dou vida a uma mulher na casa dos 40 anos e que é divorciada. Mas o giro da série vai ser o cruzamento com as outras personagens. O ator Cláudio Silva será o meu ex-marido, ele faz de professor de Economia e o ator Carloto Cotta encarnará um jovem que é DJ e trabalha no departamento de informática de uma faculdade. Há ainda a Mina Andala, que também é bióloga. Vamos abordar novas crenças como o budismo e até esta febre por livros de autoajuda", acrescenta a atriz. O formato, sublinha Maria Rueff, mistura piadas "amargas" e encenações que se aproximam do registo teatral. "A série será uma espécie de teatro filmado. É uma linha de comédia amarga, e eu gosto muito de o fazer. Vamos ver se acerto!"

A respeitada atriz de teatro, televisão e cinema - que se encontra em digressão pelo país com a peça Lar Doce Lar, com Joaquim Monchique - já não esconde o entusiasmo perante o novo projeto televisivo. "Apeteceu-me voltar ao Canal Q para me reinventar como atriz. Quis vir para um canal onde estão a trabalhar pessoas com quem me cruzei durante as emissões do Programa da Maria [SIC, 2001]. Sinto que esta experiência será o voltar a estar num projeto artesanal, que não está debaixo do jogo das audiências. Embora tenha 40 anos, estou há 20 a fazer muita coisa e de forma intensiva. Perguntava a mim própria: 'Como é que, agora, posso encontrar um caminho para continuar a surpreender as pessoas?", questionou a atriz.

Ler mais

Exclusivos