Viúva de engenheiro da DGEC vai processar o Estado

Caso do amianto: a viúva de Daniel Pires de Carvalho, Engenheiro da Direção Geral da Energia e Geologia (DGEG) que morreu em 2012 vítima de tumor pulmonar, confirmou ao DN que vai processar o Estado.

A decisão baseia-se em informações médicas que associam a morte à "exposição prolongada ao amianto" e no reconhecimento pelo Governo, através do secretário de Estado da Energia, de que os níveis daquela substância no edifício onde trabalhou não estavam "dentro daquilo que é desejável".

A TSF revelou ontem que dezanove trabalhadores da DGEG, cujas instalações têm 20 anos, tiveram diagnóstico de cancro. Nove morreram. Um deles foi Daniel Pires de Carvalho.

Leia mais no e-paper do DN ou na edição impressa

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG