Vitorino sugere que Relvas aprenda a cantar a "Grândola"

O "cantautor" Vitorino sugeriu hoje, ao ministro-adjunto e dos Assuntos Parlamentares, Miguel Relvas, que aprenda a cantar porque, quando tentou entoar a "Grândola", "grasnou".

O artista alentejano foi uma das vozes que hoje cantou a "Grândola, Vila Morena", no Terreiro do Paço, em Lisboa, no final da manifestação organizada pelo movimento "Que se lixe a 'troika'".

"Aquilo não era cantar, era grasnar. Ele tentava fazer uma piada marialva, ele que vá aprender a cantar bem", recomendou.

Para Vitorino, os milhares de pessoas que entoaram hoje "Grândola, Vila Morena" são um "público especial".

"A 'Grândola' faz bater o coração, e temos de a ensinar aos europeus. Nós sempre tivemos muito para ensinar", reiterou.

O "cantautor" considerou que, entoar a canção popularizada no 25 de Abril de 1974, "não mata, mas sempre rói".

Para o artista, esta canção também deve ser bem aprendida pelos mais jovens, porque "tem de ser utilizada com eficiência, mas também com algum cuidado estético".

O movimento "Que se lixe a 'troika'" convocou para hoje manifestações em mais de 40 cidades, em Portugal e no estrangeiro, para pedir o fim das políticas de austeridade.

Com o lema "Que se lixe a 'troika', o povo é quem mais ordena", a manifestação hoje convocada para dezenas de cidades portuguesas e algumas estrangeiras, que conta com o apoio da CGTP, coincide com a presença da delegação da 'troika' (Comissão Europeia, Banco Central Europeu e Fundo Monetário Internacional), em Lisboa, para fazer a sétima avaliação do memorando de entendimento.

As manifestações foram antecedidas por diversos protestos que ocorreram nas últimas semanas, junto de governantes, quase sempre ao som de "Grândola, Vila Morena".

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG