Vasco Lourenço discute medidas contra nova "maioria silenciosa"

Organizações ligadas às comemorações do 25 de Abril reúnem quarta-feira para discutir eventuais tomadas de posição

O apelo, via redes sociais, para uma manifestação frente ao Parlamento contra as moções de rejeição do programa do governo PSD/CDS levou o presidente da Associação 25 de Abril (A25A) a convocar uma reunião para decidir possíveis tomadas de posição contra o que qualificou como a recriação da "maioria silenciosa" de 1974.

A informação foi dada esta terça-feira ao DN pelo coronel Vasco Lourenço, presidente da A25A, que precisou ter convocado as organizações que integram a comissão promotora das "comemorações populares do 25 de Abril".

Para Vasco Lourenço, a manifestação a favor da não aprovação das moções de rejeição ao programa de governo de Pedro Passos Coelho aparenta ser "uma tentativa de recriar a maioria silenciosa do 28 de Setembro" - em 1974, quando setores conservadores tentaram organizar uma manifestação de apoio ao então presidente da República, general António de Spínola.

"Penso que as forças que reclamam os valores de Abril, como liberdade e justiça, devem preparar alguma iniciativa", adiantou Vasco Lourenço, sem referir qual a sua posição. "Vamos ver, não sei se é de fazer ou não, se é no mesmo dia" da referida manifestação convocada pelas redes sociais para 13 de novembro, acrescentou o presidente da A25A.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG