Validação de candidaturas a concurso tem mais 24 horas

O prazo para as escolas validarem as candidaturas de professores ao concurso que hoje terminava foi prolongado por 24 horas, disse à agência Lusa o presidente da Associação de Directores de Agrupamentos e Escolas Públicas, Adalmiro Fonseca.

O processo deve assim ficar concluído até às 18:00 de terça-feira, segundo informação enviada hoje às escolas pela Direcção-Geral dos Recursos Humanos da Educação. As escolas haviam pedido o prolongamento do prazo na sexta-feira, devido a problemas de acesso à plataforma electrónica utilizada para formalizar as candidaturas destinadas à colocação de quase 55.000 professores contratados nas escolas para o próximo ano letivo. Em declarações à Lusa, Adalmiro Fonseca afirmou que o secretário de Estado Adjunto e da Educação, Alexandre Ventura, respondeu prontamente à comunicação que lhe foi enviada na semana passada, mas para dizer que não havia necessidade de prolongar o prazo que terminava hoje às 18:00.

"Não sei se o secretário de Estado se esqueceu que era fim de semana. Trabalhámos no sábado e no domingo em casa porque o acesso pela escola (banda instalada no âmbito do Plano Tecnológico da Educação) era muito lento", afirmou, acrescentando que o sistema ia "constantemente abaixo". Até sexta-feira, ao final do dia, foram validadas 73 por cento das candidaturas, segundo dados do Ministério da Educação. Trata-se de um concurso anual destinado a suprir as chamadas necessidades transitórias nas escolas, ao qual podem concorrer docentes que pretendam entrar no sistema ou mudar de escola.

O director desabafou hoje que a largura de banda que tem na escola é a mesma que tem em casa, o que não é compatível com o trabalho de um estabelecimento de ensino, ainda para mais nesta fase. "Se as escolas têm de estar todas a funcionar na mesma altura, dentro do mesmo prazo, tem de haver capacidade", apelou. Para Adalmiro Fonseca, "gastaram-se milhões em coisas que não funcionam", no âmbito do PTE, acrescentando o exemplo da videovigilância instalada em quase todas as escolas, mas ainda sem funcionar em muitos estabelecimentos.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG