Vai ser possível viver na cela de um convento em Lisboa

Projeto no antigo hospital lisboeta deveria ter sido concluído até ao final de 2013, mas a abertura foi adiada para o próximo ano.

Habitar e trabalhar numa cela conventual, cultivar uma horta urbana ou almoçar num refeitório comunitário são algumas das atividades que deveriam estar a funcionar desde o final de 2013 no antigo Hospital do Desterro, em Lisboa, mas que ainda não saíram ao papel. "A conclusão da primeira fase e abertura ao público está prevista para o início do próximo ano", estima agora a Mainside, empresa que tem a cargo a recuperação e exploração do edifício detido pela Estamo e encerrado desde março de 2007. "O espaço deverá entrar em funcionamento no primeiro trimestre de 2016"; confirma ao DN a entidade que gere o património imobiliário do Estado português.

O anúncio foi feito no final de maio de 2013, aquando da oficialização da parceria entre a Estamo, a Mainside e a Câmara Municipal de Lisboa para a a reabilitação e devolução à cidade do imóvel localizado junto à Praça do Chile: até ao final desse ano, o antigo Hospital do Desterro reabriria como polo cultural. Seis meses depois, a promotora do projeto diria à Lusa que, afinal, o espaço abriria até ao verão de 2014, o que não chegou a acontecer. Já em outubro, foi tornado público que as obras estavam paradas, sendo agora a data mais recente para a inauguração, avançada recentemente pelo site noticioso O Corvo, o início do próximo ano.

Leia mais na edição impressa ou no e-paper do DN.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG