Urgências pediátricas vão manter-se 24 horas por dia na Península de Setúbal

A Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo anunciou hoje que as urgências pediátricas vão continuar a ser asseguradas 24 horas por dias nas três unidades da Península de Setúbal.

A ARSLVT reuniu hoje com os Conselhos de Administração e Diretores de Serviços de Pediatria dos Hospitais da Península de Setúbal para reavaliar a situação, depois de o Centro Hospitalar de Setúbal ter transmitindo a disponibilidade deste hospital em assegurar as escalas de pediatras para os serviços de urgência.

"Verificando-se que o Centro Hospitalar de Setúbal e o Centro Hospitalar de Montijo-Barreiro estão em condições de assegurar as escalas de pediatras, garantindo o normal funcionamento da Urgência Pediátrica, a ARSLVT não vê neste momento a necessidade de reorganizar o horário das Urgências Pediátricas no período do verão, mantendo-se assim os Serviços de Pediatria em funcionamento ao longo das 24 horas do dia", refere em comunicado enviado à Lusa.

Assim, Urgência Pediátrica vai continuar a ser assegurada pelas três Unidades Hospitalares da Península, de acordo com as suas áreas de referenciação: Hospital Garcia de Orta, Centro Hospitalar Barreiro-Montijo e Centro Hospitalar de Setúbal.

"A ARSLVT gostaria de agradecer publicamente aos profissionais de saúde dos serviços em questão a disponibilidade para assegurarem o normal funcionamento dos serviços no período do verão, evitando assim incómodos para os utentes", acrescenta o documento.

Na passada terça feira a ARSLVT anunciou que no período noturno, entre as 0:00 e as 09:00, a urgência pediátrica seria assegurada apenas pelo Hospital Garcia de Orta, em Almada.

Esta decisão originou vários protestos, das Câmaras Municipais do Barreiro e Setúbal, dos partidos políticos, juntas de freguesia, comissões de utentes e até mesmo dos profissionais da saúde.

Para a tarde de hoje agendaram uma vigília, em Setúbal e no Barreiro, contra a decisão do encerramento.

Os pedidos de reuniões à ministra da Saúde e à ARSLVT surgiram de vários quadrantes, com o grupo parlamentar do PCP questionar o ministério e o CDS-PP a solicitar a presença da ministra Ana Jorge na Comissão de Saúde.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG